AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Watchard Kédjébo installe des brigades anti-désobéissance civile à Diabo et Languibonou AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Epiphane Zorro mobilise les militants du RHDP de Zuénoula pour la victoire de Ouattara AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Plaidoyer pour la création d’un conseil consultatif spirituel au service du gouvernement AIP Côte d’Ivoire-AIP/ COVID-19: Quarante et un nouveaux cas enregistrés le dimanche 25 octobre GNA President cuts sod for Kpone hospital, Tema Regional Hospital. GNA Wa West NABCO celebrates second anniversary GNA Don’t habour grasshopper mentality – Methodist Bishop to Ministers GNA Don’t adopt inappropriate ways to take monies from congregants – Presiding Bishop GNA Agent of Peace Campaign launched APS ORIENTATION DES NOUVEAUX BACHELIERS : LA PLATEFORME CAMPUSEN ACCESSIBLE À PARTIR DE LUNDI (MINISTÈRE)

“O meio rural, a nossa cultura, a nossa música, são elementos que podem fixar os turistas” – ministro


  28 Septembre      6        Economie (10057),

   

Cidade da Praia, 28 Set (Inforpress) – O ministro do Turismo defendeu uma aposta no meio rural para desenvolver e diferenciar o produto que o país quer apresentar, afirmando que a cultura e a música de cabo-verdiana são elementos que podem fixar os turistas

Carlos Santos falava à imprensa, à margem da actividade comemorativa ao Dia Mundial do Turismo, assinalado este domingo, 27 de Setembro, e que este ano foi comemorado sob o lema “Turismo e Desenvolvimento Rural”.

No que se refere ao lema “Turismo e Desenvolvimento Rural”, conforme o governante, é escolhido pela Organização Internacional do Turismo (OIT) para demonstrar a importância que o meio rural começa a ter no turismo, não só para levar com que haja um regresso às origens, mas também para procurar trazer aquilo que é o essencial e o característico das populações dos países e das nações.

“Cabo Verde também não foge a regra a isso e dissemos na nossa intervenção que este dia é mais para reflexão, é um dia menos para festejar, mais para reflexão tendo em conta o momento pelo qual passamos”, acrescentou.

Segundo Carlos Santos, o Governo cabo-verdiano tem demonstrado aposta em segmentos da natureza e rural para procurar desconcentrar aquilo que é o turismo actual, para dar maior competitividade ao turismo nacional e para trazer os elementos que caracterizam a cabo-verdianidade.

Para exemplificar, referiu-se à criação de trilhos turísticos terrestres e de miradouros com condições e segurança, sinalética turística e ao lançamento de concurso para o mapeamento da ilha de Santiago, e brevemente para as restantes ilhas.

Isto tudo, continuou, com o objectivo de criar condições, para levar os turistas a olharem para as outras ilhas que não sejam só as onde predominam o turismo de sol e praia.

Conforme referiu o ministro do Turismo e Transportes, os operadores começam a apostar neste sector e só assim “se consegue fazer a diversificação do turismo e de o densificar a nível nacional, combatendo as assimetrias, o êxodo rural”.

“Conseguiremos também levar com que outros operadores comecem a olhar para o meio rural como local também de residência. Que é aquilo que se começa a se notar em países como Portugal, como Espanha e que acabará por ser um movimento que passará por Cabo Verde”, frisou.

De acordo com Carlos Santos, o factor preço é o resultado da oferta e da procura. Pois, referiu, com uma maior intensificação da oferta e da procura e também com a criação de alternativas, designadamente também na conectividade, o país conseguirá ter uma redução da curva do preço do produto.

O governante afirmou ainda que o executivo está a criar o programa operacional do turismo 2021/2026 para criar aquilo que se chamará o produto turístico cabo-verdiano comportando, os diversos subprodutos que são característicos de cada ilha em resultado dos “masters plans” que foram apresentados.

GSF/CP

Dans la même catégorie