APS Coupe du monde des clubs: Al-Hilal en finale APS Le DG de la SN-APS participe par visioconférence à un festival documentaire chinois APS La SONACOS va dégager  »10 à 13 milliards de FCFA » pour la prochaine campagne de commercialisation (DG) APS Pape Mamadou Sy rêve de signer un contrat professionnel avec un grand club MAP RDC: trois manifestants tués lors de l’attaque d’un convoi de l’ONU (MONUSCO) MAP RCA: Plus de 400 millions de dollars nécessaires pour répondre aux besoins humanitaires en 2023 (ONU) MAP Institut Mohammed VI pour la formation des Imams, Morchidines et Morchidates : 2.798 bénéficiaires issus de pays africains (ministre) MAP L’Angola et l’Espagne renforcent leur coopération bilatérale MAP Mali: deux policiers et un gendarme tués dans l’Ouest du pays MAP Burkina: six morts lors d’une attaque dans le centre du pays

Olavo Correia defende necessidade de olhar para Cabo Verde como nação digital


  24 Août      16        Technologie (781),

   

Cidade da Praia, 24 Ago (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, defendeu hoje a necessidade de se olhar para Cabo Verde como uma nação digital, onde as pessoas têm identidade e residência digital e o território esteja conectado consigo próprio e com o mundo.

Olavo Correia, que discursava esta manhã nas actividades comemorativas aos 180 anos da Imprensa Nacional de Cabo Verde (INCV), disse que a INCV tem de se adaptar para ajudar a acelerar a dinâmica da digitalização do País, rumo à construção dessa nação digital e para prestar um serviço neste novo quadro e neste novo contexto.

O também ministro das Finanças e do Fomento Empresarial e ministro da Economia Digital defendeu ainda que isso obriga a um processo de adaptação e que essa adaptação não é apenas uma questão meramente tecnológica, mas sim um desafio que implica, acima de tudo, mudanças e coragem.

“Mudança de atitudes, de comportamento e de competência das pessoas e do modo como as empresas, neste caso a INCV, e as entidades públicas se organizam internamente e se relacionam com os seus parceiros. Esta mudança é uma mudança inevitável, é uma mudança incontornável, não há forma de parar essa mudança, nós temos uma alternativa, adaptarmos a esse novo quadro”, frisou.

Ainda nas suas declarações, Olavo Correia, fez referência à gráfica de segurança, orçado em cerca de 470 mil contos, que, segundo disse, permitirá a INCV alargar o seu leque de produtos e serviços, possibilitando-lhe, a curto prazo, personalizar os documentos de segurança, nomeadamente passaportes, cartões de identificação, cartões de residência, cartas de condução, entre outros documentos de segurança.

“Também criar condições para, a médio prazo, passar a elaborar os referidos documentos em Cabo Verde, garantindo-nos uma autonomia no território, mas também nós queremos criar as condições para alargar a prestação de serviços à nossa sub-região africana, que também precisa de serviços de qualidade. Nós temos as condições para prestar este serviço”, completou o governante.

Para o cumprimento deste objetivo, a Imprensa Nacional conta com a “parceria estratégica” da Imprensa Nacional Casa da Moeda de Portugal.
Olavo Correia lançou ainda um repto à INCV no sentido de se ajustar os preços das publicações, de modo que o custo, não seja entrave para o exercício do dever de publicitação de actos oficiais.

Ainda no quadro dos 180 anos da Imprensa Nacional de Cabo Verde está patente uma exposição sobre a história, a cultura e as gentes das ilhas, bem como a apresentação da 4ª obra distinguida com o prémio literário Arnaldo França.

Dans la même catégorie