AGP Des bulldozers attendus dans les zones inondables MAP SAR le Prince Héritier Moulay El Hassan préside à Kénitra la cérémonie de sortie de la 19è promotion du Cours supérieur de défense et de la 53è promotion du Cours État-Major MAP Honoris United Universities accompagne 54 jeunes femmes entrepreneures du continent africain AGP Bientôt une usine d’assemblage et de montage de tablettes AGP Kankan-Education :1680 candidats à l’examen de sortie des écoles professionnelles session 2019. AGP Assemblée nationale : Adoption du projet de loi relatif à l’usage des armes par la gendarmerie nationale. ANP Journée mondiale contre la drogue 2019 : destruction d’importants stocks des stupéfiants Konni ANP Le Niger veut réduire le taux de prévalence basée sur le genre de 28,4% à 15,4% d’ici 2021 ANG Dois golos em três minutos dão triunfo aos Camarões contra a Guiné-Bissau na abertura do grupo F ANG Bissau acolhe ateliê sobre redução de capturas de tartarugas e aves marinhas na Sub-Região

Parlamentares africanos debatem hoje violência contra mulheres e crianças


Bissau,04 Dez 15 (ANG) – Os lideres dos parlamentos africanos que se encontram reunidos em Bissau no terceiro dia da 67ª Sessão da União Parlamentar Africana debatem hoje o tema « Acção Parlamentar para Lutar com Eficácia Contra Violências Infligida às Mulheres e Crianças ».

Em declarações à imprensa, a deputada guineense Paula Simões Pereira, membro da Comissão Organizadora do evento, confirmou que as delegadas dos 54 países participantes na conferência de Bissau vão tratar da violência contra as mulheres e crianças.

« Como sabem nos nossos países em particular em África existem ainda muitas violências contra as mulheres. Esquecem-se que uma mulher é mãe, esposa e companheira que deve ser tratada com muito amor e carinho », disse.

Aquela deputada afirmou que os países que ainda não adoptaram as leis de protecção desta camada devem seguir o exemplo da Guiné-Bissau, salientando que durante a 8ª legislatura da ANP foi aprovada uma lei contra a violência às mulheres e crianças.

« Hoje vamos sensibilizar as mulheres de todos os países que ainda não têm essa lei que sigam o exemplo da Guiné-Bissau », frisou.

Paula Simões Pereira referiu que o mundo está cheio de violências, adiantando que violentando a população igualmente se atinge as mulheres e crianças que são parte.

A deputada deu o exemplo de Cabo Verde onde a equidade de géneros é bem mais visível, acrescentando que na Guiné-Bissau já se está a dar passos lentos e seguros neste aspecto, para que as mulheres guineenses tenham essa igualdade de que tanto se fala.

ANG

Dans la même catégorie