MAP Un capitaine rebelle du polisario se présente à la Ligne de défense avec l’intention déclarée de rallier la mère-patrie (source militaire) APS RENCONTRE SUR LES PERSPECTIVES DE COOPÉRATION AUTOUR DE LA GESTION DU FLEUVE SÉNÉGAL APS LE STADE LAT-DIOR PRIS D’ASSAUT PAR DES SUPPORTERS POUR LA PREMIÈRE SÉANCE D’ENTRAÎNEMENT DES LIONS APS INCENDIE À PETERSEN : LES COMMERÇANTS DÉTERMINÉS À REPRENDRE LEURS ACTIVITÉS ACP Un  concours d’éloquence des étudiants pour la promotion de la culture de la paix. ACP Remise des brevets aux 320 sourds muets à la formation sur les droits de l’homme ACP Plaidoyer pour la promotion des personnes vivant avec handicap au sein des institutions nationales AGP Discours de la ministre de l’Action Sociale à l’occasion des travaux de la 63ème session de la commission de l’ONU sur la condition de la femme AGP TRAVAUX PUBLICS : plus de deux milliards de dollars US investis par la 3ème République dans la réalisation des routes NAN GenCos release 3,982 MW of electricity to national grid

Parlamentares africanos debatem hoje violência contra mulheres e crianças


Bissau,04 Dez 15 (ANG) – Os lideres dos parlamentos africanos que se encontram reunidos em Bissau no terceiro dia da 67ª Sessão da União Parlamentar Africana debatem hoje o tema « Acção Parlamentar para Lutar com Eficácia Contra Violências Infligida às Mulheres e Crianças ».

Em declarações à imprensa, a deputada guineense Paula Simões Pereira, membro da Comissão Organizadora do evento, confirmou que as delegadas dos 54 países participantes na conferência de Bissau vão tratar da violência contra as mulheres e crianças.

« Como sabem nos nossos países em particular em África existem ainda muitas violências contra as mulheres. Esquecem-se que uma mulher é mãe, esposa e companheira que deve ser tratada com muito amor e carinho », disse.

Aquela deputada afirmou que os países que ainda não adoptaram as leis de protecção desta camada devem seguir o exemplo da Guiné-Bissau, salientando que durante a 8ª legislatura da ANP foi aprovada uma lei contra a violência às mulheres e crianças.

« Hoje vamos sensibilizar as mulheres de todos os países que ainda não têm essa lei que sigam o exemplo da Guiné-Bissau », frisou.

Paula Simões Pereira referiu que o mundo está cheio de violências, adiantando que violentando a população igualmente se atinge as mulheres e crianças que são parte.

A deputada deu o exemplo de Cabo Verde onde a equidade de géneros é bem mais visível, acrescentando que na Guiné-Bissau já se está a dar passos lentos e seguros neste aspecto, para que as mulheres guineenses tenham essa igualdade de que tanto se fala.

ANG

Dans la même catégorie