MAP Bulletin de l’écologie de l’Afrique MAP Bulletin quotidien d’informations économiques africaines MAP Revue de la Presse Quotidienne Internationale Africaine (RPQI-Afrique) APS L’accord de partage gazier entre le Sénégal et la Mauritanie augure un développement du secteur en Afrique (Chambre africaine de l’énergie) ANP L’ambassadeur du Nigéria reçu par le Chef d’État du Niger ANP Maradi: Lancement d’une campagne sur de la planification familiale APS Cité du savoir de Diamniadio, un futur  »écosystème » pour la création d’entreprises et de start-up (Responsable) APS L’État invité à anticiper les pertes d’emplois liés au numérique APS Saint-Louis: Inhumation des quatre pêcheurs retrouvés morts au Cap-Vert APS Médias: Macky Sall plaide pour un message positif sur l’Afrique

Parlamentares africanos debatem hoje violência contra mulheres e crianças


Bissau,04 Dez 15 (ANG) – Os lideres dos parlamentos africanos que se encontram reunidos em Bissau no terceiro dia da 67ª Sessão da União Parlamentar Africana debatem hoje o tema « Acção Parlamentar para Lutar com Eficácia Contra Violências Infligida às Mulheres e Crianças ».

Em declarações à imprensa, a deputada guineense Paula Simões Pereira, membro da Comissão Organizadora do evento, confirmou que as delegadas dos 54 países participantes na conferência de Bissau vão tratar da violência contra as mulheres e crianças.

« Como sabem nos nossos países em particular em África existem ainda muitas violências contra as mulheres. Esquecem-se que uma mulher é mãe, esposa e companheira que deve ser tratada com muito amor e carinho », disse.

Aquela deputada afirmou que os países que ainda não adoptaram as leis de protecção desta camada devem seguir o exemplo da Guiné-Bissau, salientando que durante a 8ª legislatura da ANP foi aprovada uma lei contra a violência às mulheres e crianças.

« Hoje vamos sensibilizar as mulheres de todos os países que ainda não têm essa lei que sigam o exemplo da Guiné-Bissau », frisou.

Paula Simões Pereira referiu que o mundo está cheio de violências, adiantando que violentando a população igualmente se atinge as mulheres e crianças que são parte.

A deputada deu o exemplo de Cabo Verde onde a equidade de géneros é bem mais visível, acrescentando que na Guiné-Bissau já se está a dar passos lentos e seguros neste aspecto, para que as mulheres guineenses tenham essa igualdade de que tanto se fala.

ANG

Dans la même catégorie