GNA “Ghana’s Most Beautiful” contestant fetes children in Takoradi GNA « Enough is Enough » demonstration in Ho not sanctioned – Police GNA Adormeh-Odumase outdoors new chief GNA More than 69 percent of refuse in Central Region uncollected GNA Preserving the Heroines and Heroes of Ghana GNA GPL Week 10: Berekum Chelsea, Hearts scoreless stalemate GNA Vincent Torgah wins 2021 Captain One Invitational Golf Championship GNA Women’s Premier league: Immigration Ladies pick a point against Hassacas Ladies at home GNA Ghana’s economy is on track-President Akufo-Addo AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le RASALAO satisfait de ses actions de sensibilisation à la paix à Gagnoa

Porto Novo: Dívida pública ultrapassa 340 mil contos e executivo promete debruçar sobre o problema neste mandato


  5 Janvier      12        Société (27678),

   

Porto Novo, 05 Jan (Inforpress) – O município do Porto Novo, Santo Antão, tem, nesta altura, uma dívida pública, que ultrapassa os 340 mil contos, resultante de empréstimos bancários, de médio e longo prazos, destinados a investimentos municipais, acumulados nos últimos 11 anos.
O mapa referente ao “stock” da dívida pública municipal, a que a Inforpress teve acesso, refere que os empréstimos de médio e longo prazos, feitos à banca, amortizáveis entre 9 e 24 anos, permitiram ao município adquirir um capital de quase 420 mil contos, estando, neste momento, pagos mais de 73 mil contos.
De entre os investimentos realizados nesses anos com recurso à banca está o edifício dos Paços do Concelho, cujos empréstimos feitos (num total de 130 mil contos) para a sua construção estarão a ser amortizados nos próximos 8 a 12 anos.
No início de 2020, o capital pago era de 54 mil contos, mas que, durante o ano, apesar da moratória concedida, entre Abril e Dezembro, a todos os empréstimos, devido à covid-19, o município conseguiu amortizar 19 mil contos, fixando a dívida municipal em 346 mil contos, em Dezembro último.
A edilidade porto-novense “não tem previsão de recorrer a empréstimos de médio e longo prazos”, razão pela qual a dívida pública do município deve manter-se, pelo menos, até final de 2021.
“Não temos a previsão de recorrer a empréstimos de médio e longo prazo por várias razões. Antes de mais, pela necessidade de contenção, mas também pelo nível do endividamento municipal, sobre o qual pensamos, durante este mandato, debruçar muito profundamente”, nota o edil.
Para Aníbal Fonseca, é necessário “analisar como tornar sustentável” para o município do Porto Novo esta “componente essencial de acesso ao financiamento”.
Porém, a câmara do Porto Novo vai recorrer, este ano, a um empréstimo de curto prazo de dez mil contos, amortizável nos próximos 12 meses, para resolver o défice orçamental, conforme este autarca, que explica que o crédito visa dar “cobertura às oscilações da tesouraria” que se prevê ao longo de 2021.
Entretanto, além das dívidas decorrentes dos investimentos municipais, a autarquia porto-novense tem estado, também, a braços com a dívida, na ordem dos dois mil contos mensais, com a empresa Águas do Porto Novo, que vem sendo acumulada desde 2008.
JM/ZS
Inforpress/Fim

Dans la même catégorie