AIP Ladji Abou Sanogo installé officiellement dans ses fonctions de délégué général de l’UNJCI ACP La pastèque augmente la vitalité des vaisseaux sanguins, selon un médecin ACP Dr Nico ou génie artistique dans le fondement de la musique congolaise moderne (Arthur Kayumba) ACP La 20ème édition du Festival national de Gungu confirmée du 24 au 28 septembre 2020 au Musée national de la RDC AGP Siguiri/Société : Renforcement des capacités des jeunes au montage des projets. AGP Mamou/environnement : 10 hectares de forêts reboisés par les chasseurs de Teguereya APS LE PROJET GOYN PRÉSENTÉ AUX ACTEURS DE DIOURBEL APS LE CORONAVIRUS IMPOSE SA LOI AUX ASC APS COVID-19 : LE PIB RÉEL DU SÉNÉGAL SE CONTRACTERA DE 0,7 % EN 2020 (FMI) APS 30 FILLES DU CENTRE SAUVEGARDE DE THIÈS FORMÉES EN COUTURE

Portugal/PR defende reconfiguração institucional UE/África


  4 Septembre      19        Economie (9698),

   

Bissau, 04 Set 20 (ANG) – O Presidente da República de Portugal defendeu quinta-feira que a União Europeia deve fortalecer o seu relacionamento com África através de uma reconfiguração institucional, concluindo esse processo até ao fim da presidência portuguesa.

Marcelo Rebelo de Sousa assumiu esta posição durante uma conversa com o Presidente da República do Gana, Nana Akufo-Addo, inserida naterceira edição do Fórum Euro-África, que se realizou por videoconferência, devido à pandemia de covid-19.

O chefe de Estado português, que falou em inglês, afirmou que a cooperação entre Europa e África tem de “mudar estruturalmente”, com “um novo quadro comum” ao nível institucional, considerando que organizações “concebidas noutra era” estão agora “largamente ultrapassadas”.

“É um grande desafio. Um desafio em relação ao calendário: devemos ter decisões até Outubro, quando se realizará a cimeira entre a União Europeia e a União Africana [durante a presidência alemã]. Devemos ter isso fechado durante a presidência portuguesa [da União Europeia] no primeiro semestre no próximo ano”, acrescentou.

O Presidente da República de Portugal reiterou esta mensagem várias vezes ao longo desta conversa, defendendo que é preciso haver “menos organismos” e “novas organizações mais operacionais”.

“Temos de integrar os diferentes sistemas financeiros, temos de fortalecer o financiamento europeu relativamente a África, temos de o fazer rapidamente. Para mim é óbvio que deve haver conclusões preliminares antes do fim deste ano, durante a presidência alemã, e obviamente a definição final antes do fim da presidência portuguesa [da União Europeia] “, reforçou.

Dans la même catégorie