MAP L’exploitation minière joue un rôle central dans l’industrialisation de l’Afrique (conférence) MAP Mali: plus de 30 terroristes neutralisés dans le centre du pays (armée) MAP Revue de la presse quotidienne internationale africaine (RPQI-Afrique) MAP Bulletin de l’écologie de l’Afrique MAP Bulletin d’informations économiques africaines MAP Le Sénégal et la BAD signent deux accords de financement MAP Le président malien sera présent au sommet Russie-Afrique prévu en juillet à Sotchi (ministre des AE) APS Malèye Diagne « a tous les atouts pour réussir avec son nouveau club », le Riga FC APS Samba Ndiobène Ka rassuré par les travaux du Promoviles à Rufisque APS Promovilles: lancement des travaux de deux voies pour désenclaver Tivaouane Peulh-Niaga

Presidente da ARME diz que “faz todo o sentido” falar em 5G no país em fase de implementação do 4G


  24 Juillet      34        Technologie (781),

   

Cidade da Praia, 24 Jul (Inforpress) –  O presidente ARME, Isaías Barreto, disse esta terça-feira na Cidade da Praia que “faz todo o sentido” falar da rede móvel de quinta geração, mesmo numa altura em que o país está a começar a introduzir o 4G.
O presidente da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME) que falava à imprensa à margem do workshop “Promovendo a 5ª Geração de Comunicações Móveis em Cabo Verde” organizado por esta entidade reguladora, em parceria com a multinacional Huawei.
No ponto de vista de Isaías Barreto, que respondia à questão colocada pelos jornalistas, nomeadamente se este é o melhor momento para esta iniciativa, uma vez que se está na fase de implementação do 4G, “faz todo o sentido” porque o lançamento do 4G pode servir de rampa de lançamento para o 5G.
“Quando tivermos a rede de quarta geração implementada, a migração, a passagem para o 5G fica mais facilitada, ou seja, podemos capitalizar os investimentos feitos na rede de quarta geração para avançarmos para 5G”, afirmou o responsável da ARME para quem Cabo Verde tem de ter uma “visão de futuro”.
Isaías Barreto disse ainda que se está a analisar a melhor abordagem para o 5G em Cabo Verde e que o país não pode esperar para daqui a cinco, seis, sete anos começar com o seu planeamento.
Neste processo, o presidente da ARME realçou que a instituição está a trabalhar com a Huawei, quem irá dar pistas “importantes” e proporcionar uma visão “mais clara” sobre como deverá ser o 5G no arquipélago.
GSF/FP

Dans la même catégorie