MAP Le Maroc parmi les 10 premiers pays qui ont réussi le défi de la vaccination contre la Covid-19 (OMS) AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Des affiches des candidats déchirées à Bocanda AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Adama Bictogo appelle à voter pour le candidat désigné par le RHDP à Aboisso sous-préfecture AIP Côte d’Ivoire-AIP/ 356 nouveaux cas de COVID-19 notifiés le 3 mars 2021 (Ministère) AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Le préfet de Bocanda invite les candidats à œuvrer pour la paix pendant la campagne AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Au total 2 000 ménages vulnérables bénéficient de kits alimentaires et sanitaires à Abidjan AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Le candidat RHDP de Tagadi et Sorobango veut continuer de soutenir les actions de développement du Gouvernement AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Le candidat du PDCI compte défendre les intérêts de la population de Bonon APS MACKY SALL ANNONCE 8 MILLIONS DE DOSES POUR LA VACCINATION DE 4 MILLIONS DE PERSONNES APS LE PRÉSIDENT SALL PRÔNE LA FINALISATION DE LA STRATÉGIE NATIONALE DE PROTECTION CIVILE

Presidente da República faz “avalização positiva” do desempenho da Provedoria de Justiça


  12 Février      18        Politique (15548),

   

Cidade da Praia, 12 Fev (Inforpress) – O Presidente da República avaliou quinta-feira “positivamente” o desempenho da Provedoria de Justiça, após uma visita de cortesia em que analisou com o provedor questões que afectam a instituição e recebe informações sobre acções em prol de melhorias.
“Tenho uma avaliação bastante positiva da acção da Provedoria de Justiça, ainda que seja recente e que não tem muitos meios, mas que tem feito um trabalho construtivo e positivo, apesar de ser uma instituição incómoda”, disse Jorge Carlos Fonseca, em declarações à imprensa, após o encontro que manteve com o provedor e sua equipa de trabalho.
Conforme o Presidente da República, a Provedoria de Justiça, por ser uma instituição que ajuda a contribuir para que o Estado de Direito se consolide e fortaleça a cultura da democracia, “é incómoda para muitos serviços e pessoas” por ser a instituição que “mexe e toca em questões” que, por vezes, “não são do agrado das instituições e dos políticos”.
O chefe do Estado avançou ainda que é por este motivo que a Provedoria de Justiça existe, ou seja, para actuar lá onde houver “falhas e insatisfações ilegítima” de realização dos direitos dos cidadãos.
Neste sentido, enumerou algumas áreas em que a Provedoria de Justiça deveria actuar de forma privilegiada, como a área da actividade da administração pública, central e local, ajudando os cidadãos a realizarem os seus direitos e promovendo os seus interesses como promoções, concursos e outros.
Para além disso, observou que a Provedoria de Justiça é também um instrumento de realização da Constituição, dos direitos, liberdades e garantias individuais, assim como os direitos sociais, económicos, culturais e prisionais.
Segundo Jorge Carlos Fonseca, com a clarificação estatutária que deve ser feita em relação à Provedoria de Justiça, a instituição pode, através de protocolos, agir no âmbito da parte administrativa dos tribunais.
No que concerne a recursos financeiros, o Presidente da República adiantou que a instituição deve ter recursos para poder realizar as tarefes que lhe são incumbidas.
Por sua vez, o provedor de Justiça, José Carlos Delgado, realçou que o chefe do Estado “deve e pode intervir em todos os domínios” para que a Provedoria de Justiça possa melhorar as suas “condições de intervenção”.
“Esta a decorrer um processo de alteração do estatuto de justiça e, se todo correr bem, esse processo levará a um alargamento das competências do Provedor da Justiça, particularmente, na matéria dos direitos sociais. Isso implicará uma alteração orgânica da Provedoria da Justiça e o seu reforço no sentido da sua intervenção”, disse, sublinhando, contar com o apoio de Jorge Carlos Fonseca para melhorias na instituição.
Porém, mesmo sem muitos recursos, José Carlos Delgado prometeu tudo fazer para, com o que existe na instituição, dar o seu melhor para cumprir o papel da instituição.
Quanto ao protoloco a ser rubricado com o Tribunal, explicou que a sua função é ajudar a Provedoria de Justiça a encontrar os “melhores caminhos” para uma “melhor intervenção”, sem entrar nos processos junto dos tribunais e poder assim dar respostas a queixas existentes quanto a celeridade da justiça junto dos tribunais.
A Provedoria de Justiça, que conta, neste momento, com cerca de 200 queixa contra entidades como câmaras municipais, administração pública, promoções, pensão de alimentos e outros, não notou, segundo o provedor, aumento de queixas devido a situação da pandemia.
Informou, por fim, que a Provedoria de Justiça vai, em tempo útil, verificar se o que foi estipulado no relatório face a queixas que violam os direitos humanos no sistema prisional está ou não a ser cumprido.
Para isso, comunicou que está sendo programada uma visita a Cadeia de São Martinho para constatar, no local, as mudanças.

Dans la même catégorie