APS KAOLACK : BAYE ASSISTANCE MÉDICALE MOBILISE 250 AGENTS POUR LA COUVERTURE MÉDICALE DU GAMOU APS L’OUVERTURE D’UNE BOULANGERIE ASSUJETTIE À UNE AUTORISATION (RESPONSABLE) AGP Gabon : Ossouka Raponda représente Ali Bongo Ondimba au colloque international de Brazzaville AIP Kobenan Adjoumani rassure sur la sécurité de l’élection présidentielle AGP Gabon/Justice: Reprise des activités judiciaires dans les tribunaux de Tchibanga AGP Gabon/Barrage hydroélectrique Kinguélé Aval : Signature de la convention entre Asohna Énergie et Sinohydro ANP Niger : Le Président Issoufou demande d’accélérer l’opérationnalisation du fonds Waqf destiné aux FDS ANP Niger : Des éclaircissements sur les modalités d’accès des partis politiques aux médias en période électorale GNA New UN report details environmental impacts of used vehicles MAP Un site d’information zambien se fait l’écho de l’ouverture de l’ambassade de la Zambie au Maroc

Presidente da República pede “esforço adicional” na diminuição de contágio para retoma das aulas presenciais na capital


  30 Septembre      22        Santé (7810), Société (24245),

   

Cidade da Praia, 30 Set (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, apelou hoje a um “esforço adicional por parte de todos” para reduzir “de forma relevante” os números de contágio na capital, permitindo a retoma das aulas presenciais.
Jorge Carlos fez este apelo à imprensa, à margem de uma visita que realizou ao estúdio de gravação do programa “Aprender e estudar em casa”, a convite da ministra da Educação, Maritza Rosabal.
Segundo o Presidente da República, é necessário que se “faça um esforço adicional” por parte das autoridades de saúde e das demais autoridades, dos cidadãos da Praia e do País e das associações, para que se consiga, neste compasso de espera, reduzir “de forma relevante” o número de contágio e contribua para que o ambiente epidemiológico favoreça o retomar das aulas presenciais na capital.
Conforme apontou, no caso da Cidade da Praia, as autoridades entenderam que as razões para o adiamento das aulas presenciais “não têm a ver com a impreparação dos serviços de educação”, mas sim, com a “dimensão dos muros da covid-19″ no concelho, nos últimos tempos.
Jorge Carlos Fonseca avançou que a segurança sanitária é um “garante fundamental”, e que da parte das autoridades “tudo deve ser feito” para que seja a maior possível, tendo as escolas que disponibilizar também os meios para que os riscos de propagação sejam “minimizados o máximo possível”.
Instado sobre a possibilidade de as aulas serem interrompidas, caso haja contágios no seio da comunidade académica, o chefe de Estado salientou que a questão foi discutida no Conselho da República e que foram definidos critérios para tais situações.
“O risco de contágio é real, mas entre os riscos de propagação do vírus com o reinício de aulas presenciais e os prejuízos causados pelo encerramento de aulas, pesando as duas coisas, entendeu-se assumir os eventuais riscos de propagação que representam”, frisou.
Indicou ainda que o mundo está a navegar num mar de incertezas, sem a noção do fim da pandemia, mas referiu que, no entanto, “seria um desastre” para o País e “uma calamidade” para o sistema de ensino manter eternamente as escolas fechadas.

Dans la même catégorie