ABP Plus d’un million de francs CFA offerts pour la réalisation d’un ouvrage de franchissement dans la ville de Djougou ABP Le Mouvement « le Réveil » réitère son soutien au PAG de Patrice Talon ABP Les enfants de zéro à quatorze ans du Couffo bientôt vaccinés contre la rougeole et la rubéole MAP Le Groupe BMCE Bank Of Africa lance officiellement sa nouvelle filiale OGS AGP Gabon: L’US approuve la reconduction de Moukagni Iwangou au gouvernement AIP Côte d’Ivoire / Des ouvrages scolaires offerts au collège moderne de Dembasso AIP Côte d’Ivoire/ Les résultats du championnat national de volleyball AIP Côte d’Ivoire/ Des paysans veulent réduire les feux de brousse à Oumé ATOP LA JEUNE CHAMBRE INTERNATIONALE /SECTION TOGO A EFFECTUE SA RENTREE SOLENNELLE ATOP APPUI AUX FEMMES ENTREPRENEURES AFRICAINES : LE PROJET « PLATEFORME 50 MILLIONS DE FEMMES AFRICAINES ONT LA PAROLE » LANCE

Primeiro-ministro defende democratização do acesso à internet e quebra de assimetrias entre as regiões


  7 Février      21        Téchnologie (882),

   

Cidade da Praia, 07 Fev (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva defendeu hoje que para além de os cidadãos terem acesso gratuito ao Boletim Oficial (BO) através da internet, é preciso também a democratização do acesso à internet em Cabo Verde.

Ao fazer a sua intervenção na cerimónia de apresentação pública do acesso universal dos cidadãos ao Boletim Oficial, que teve lugar esta terça-feira na sala de conferências do Palácio do Governo, na Cidade da Praia, Ulisses Correia e Silva considerou que existem ainda “muitas assimetrias” no acesso à internet entre as diferentes regiões do país que precisam ser “quebradas”.

“Com esta iniciativa vamos ter mais cidadãos a ter aceso ao BO, mas temos ainda constrangimentos que temos que ultrapassar, que é a democratização do acesso à internet”, afirmou, revelando que a intenção do Governo é criar um “programa forte de inclusão digital”.

De acordo com o primeiro-ministro, é uma prioridade nacional o acesso à internet e tornar a acessibilidade à internet como um bem essencial, tendo em conta que “não é suficiente” ter elementos disponíveis através da internet, mas que é preciso uma “maior redução das assimetrias de acesso” à mesma.

Ulisses Coreia e Silva fez saber que a iniciativa do acesso universal dos cidadãos ao Boletim Oficial, em vigor desde 01 de Janeiro de 2017, enquadra-se no programa “Governação Aberta”, do Presidente Obama, assumido por vários países do mundo, entre os quais, Cabo Verde, desde 2015.

“Temos mais iniciativas a serem implementadas para que a “Governação Aberta” seja um grande contributo para Cabo Verde dar o passo seguinte, que é passar de democracia imperfeita para uma democracia plena, onde apenas um grupo restrito de países estão inseridos, mas que estamos na proximidade de chegar lá”, garantiu.

A componente de informação e educação em relação à Constituição da República, a promoção da cidadania fiscal como direito de cidadãos às informações sobre o uso do dinheiro público e acesso aos relatórios e contas das empresas públicas, são algumas iniciativas a serem implementadas nos próximos meses dentro do referido programa.

A sessão da apresentação pública do acesso universal dos cidadãos ao Boletim Oficial contou ainda com as intervenções do administrador executivo da Imprensa Nacional de Cabo Verde (INCV), Miguel Semedo, e do provedor da Justiça, António do Espírito Santo Fonseca.

Assistiram também ao acto o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, a bastonária da Ordem dos Advogados de Cabo Verde (OACV), Sofia de Oliveira Lima, o procurador geral da República, Óscar Tavares, deputados nacionais, representantes sindicais, entre outros.
DR/FP

Dans la même catégorie