APS VERS ’’DES DISPOSITIONS PRATIQUES » POUR LE « PAIEMENT SYSTÉMATIQUE’’ DES INDEMNITÉS DES EXAMENS ET CONCOURS APS SÉCURITÉ DE PROXIMITÉ : MACKY SALL PROLONGE D’UN AN LES CONTRATS DES AGENTS DE LA PROMOTION 2014 APS LA DEUXIÈME PHASE DE LA CMU SERA LANCÉE CETTE ANNÉE, SELON MACKY SALL APS A CAUSE DU COVID-19, LE GOUVERNEMENT SUSPEND SES CONFÉRENCES BIMENSUELLES JUSQU’À NOUVEL ORDRE APS ARACHIDE : À KAOLACK, LA SONACOS EST EN RETARD SUR SES OBJECTIFS DE COLLECTE (DIRECTEUR) APS L’UNICEF OFFRE DES KITS SCOLAIRES À DES ÉLÈVES DE FAMILLES VULNÉRABLES DE ZIGUINCHOR GNA Kotoko moves to third place on league log after beating Dwarfs GNA Ayebeng Memorial Kindergarten Block gets facelift GNA Avoid over enrollment of school pupils- Director of Education GNA Parliament stands down motion to suspend payment of university fees

Recursos Naturais/Guiné-Bissau e Senegal vão assinar novo acordo de partilha de petróleo


  18 Décembre      13        Economie (10825), Politique (14295),

   

Bissau, 18 Dez 20 (ANG9 – O presidente da República, Umaro Sissoco Embaló, admitiu estar a negociar com o Senegal acordos para uma possível partilha de futuras descobertas de petróleo.

Segundo a RFI a notícia foi avançada em Setembro por um jornal senegalês. Até esta quarta-feira, o Presidente guineense nunca quis comentar as discussões com o seu homólogo do Senegal, Macky Sall, quanto a um novo acordo de partilha do petróleo, que se acredita existir na fronteira marítima comum aos dois países.

Quando procedia ao balanço da visita a Bissau do presidente Sassou Nguesso do Congo, Umaro Sissoco Embalo assumiu haver negociações com o Senegal.

A Guiné-Bissau e o Senegal estão em negociações sobre a partilha do petróleo, caso seja descoberto na zona da fronteira marítima comum aos dois países.

Umaro Sissoco Embaló, assumiu que existem negociações nesse sentido e que brevemente vai assinar com o seu homólogo senegalês, Macky Sall, um novo acordo de partilha de petróleo.

Umaro Sissoco Embaló disse que o novo acordo vai ter uma nuance; em caso da descoberta do petróleo, a chave da partilha será fixada conforme o território onde o recurso for encontrado. Ou seja, a Guiné-Bissau terá mais proveito se o petróleo for encontrado no seu território e se for do lado senegalês será o Senegal a ficar com a maior parcela dos ganhos.

Quanto às críticas dos parlamentares sobre o facto de o Presidente não ter informado sobre as negociações com o Senegal, Umaro Sissoco Embalo disse que não há nada na constituição que o ordene a pedir anuência a quem quer que seja, garantindo que enquanto chefe de Estado a única entidade a quem deve informar das suas decisões é o povo guineense e a mais ninguém.

Actualmente a chave da partilha de eventuais recursos petrolíferos entre os dois países está fixada, desde os anos 1980, em 85% para o Senegal e 15% para a Guiné-Bissau.

Dans la même catégorie