MAP L’ambassadeur Hilale saisit le SG de l’ONU et le CS sur les violations des droits de l’Homme dans les camps de Tindouf MAP Conférence de l’Institut américain «Brookings»: M. Bourita met en avant les réformes audacieuses du Maroc sous l’impulsion de SM le Roi MAP L’initiative noble de SM le Roi d’aider les pays africains en temps de pandémie, un modèle de solidarité intra-africaine (ministre kényane des AE) MAP Jusqu’à 500 millions de DH pour l’aménagement de Harhoura, une destination touristique prisée MAP Hilale démystifie auprès du SG de l’ONU et du CS la campagne hystérique de l’Algérie et du « polisario » sur la situation au Sahara MAP M. Amara plaide pour une mise en œuvre optimale du chantier de l’éducation routière MAP Rencontre à Oujda sur le droit d’accès à l’information APS LE GOUVERNEMENT INVITÉ À HÂTER LA CONCRÉTISATION D’UN PROJET DE POLYCLINIQUE DE DERNIÈRE GÉNÉRATION APS MACKY SALL VA SE FAIRE VACCINER, JEUDI (MÉDIA) APS VACCINATION : MACKY SALL PRÔNE UN ’’PLAIDOYER SOUTENU’’ ET UNE ’’MOBILISATION COMMUNAUTAIRE’’

Rede de associações comunitárias concorda com manifesto público para combater questões de desigualdade


  23 Février      18        Société (29177),

   

Cidade da Praia, 23 Fev (Inforpress) – A Rede das Associações Comunitárias e Movimentos Sociais da Praia (RACMS) defende a necessidade da criação de um manifesto público, visando combater questões ligadas à desigualdade e desvalorização do associativismo jovem e comunitário.
Segundo o membro da RACMS Gerson Pereira, há “muitas questões” ligadas ao associativismo, principalmente associativismo jovem e comunitário, que levam a que este seja o momento de se fazer “um combate” para alcançar “mais igualdade, valorização e respeito” para com o voluntariado jovem e trabalho associativo.
“As autoridades precisam parar de negligenciar a existência e autoridade das associações comunitárias, como sendo primeira força de uma comunidade”, disse o responsável, sublinhando que as associações “nunca estão a par” dos projectos traçados e as intervenções realizadas nas comunidades.
Porque, conforme justificou o membro da RACMS, as autoridades locais e centrais “simplesmente negligenciam a importância das associações”, embora seja nas organizações que a comunidade “mais confia e sente representada”.
Outro aspecto, afirmou, são os fundos públicos disponibilizados “apenas para algumas associações de renome”, enquanto, assegurou, “aquelas que realmente trabalham” para as comunidades “não têm oportunidades de acesso aos subsídios, nem do Governo e nem da câmara da Praia”.
Gerson Pereira destacou ainda a questão dos direitos alfandegários de que as associações beneficiam, mas garantiu que não estão sendo respeitados.
Sublinhou, deste modo, que estas são políticas e medidas públicas que deveriam ser tomadas antes de auscultar as associações, que são “a voz das comunidades”.
A RACMS surgiu em Março de 2020, inicialmente para dar resposta de forma articulada aos desafios que a pandemia da covid-19 podia trazer para as comunidades.
Desde então, a rede tem vindo a trabalhar “de forma coordenada e articulada” em prol das comunidades, discutindo soluções e reforçando as capacidades para uma liderança comunitária esclarecedora e focada no desenvolvimento humano.

Dans la même catégorie