ANP Diffa N’glaa : Les principaux édifices seront livrés au plus tard le 24 décembre (Gouvernement) AGP L’opérateur de télécommunication Airtel Gabon se dote d’un siège à Koulamoutou GNA FDA launches ‘operation consumer-one officer’ campaign AGP CEEAC: Ali Bongo Ondimba passera le flambeau à Denis Sassou Nguesso ce vendredi à Libreville GNA The Mastercard Foundation supports CAMFED to launch e-learning assets APS LES DÉPUTÉS PLANCHENT SUR LA LFI 2021 EN PLÉNIÈRE APS MAMADOU TANDJA SERA INHUMÉ DANS SON VILLAGE NATAL APS TOURNOI U20 : LE COACH MALIEN DE LA MAURITANIE RACONTE SON MATCH CONTRE SON PAYS D’ORIGINE APS LA BAD VEUT ACCROÎTRE LA PERFORMANCE DE SON PORTEFEUILLE AU SÉNÉGAL AIP /Inter/ Les gouvernements du monde entier exhortés à faire de leur priorité l’élimination des violences faites aux femmes

REPORTAGEM/Uso de Máscara: Aumento de vendas “pouco significativo” nas farmácias do Mindelo


  16 Novembre      3        Santé (8098),

   

Praia, 16 Nov (Inforpress) – A lei que obriga ao uso de máscara na via pública, em vigor desde o dia 05, fez aumentar de forma “pouco significativa” a venda deste equipamento de protecção individual nas farmácias do Mindelo, embora haja excepções.
Numa ronda, a Inforpress constatou que nesta primeira semana de vigência da nova lei, a maioria dos responsáveis das farmácias de São Vicente garante não ter notado “grandes diferenças” na venda desse apetrecho.
“Se houve aumento, não foi assim tão considerável que pudesse ser percebido nestes poucos dias”, assegurou a directora técnica da Farmácia Nena, Jaqueline Baptista, adiantando que, na verdade, as vendas de máscaras na ilha aumentaram “há já algum tempo”.
A responsável da Farmácia Jovem, Aleida Gomes, por seu lado, também considerou que não houve aumento nesta primeira semana, mas sim “muita saída” deste equipamento de protecção individual na altura da abertura do ano escolar, em que apresentaram kits com máscara e álcool gel para adultos e crianças, e também durante a campanha eleitoral autárquica.
Um aumento já com um mês, também registado na Farmácia Mindelo, em que houve “muitas vendas”, mas “não necessariamente relacionadas com a efectivação da nova lei”, segundo a responsável.
Entretanto, há duas excepções, a Farmácia Higiene e a Farmácia do Leão, em que, asseguram os responsáveis, a compra de máscaras “quase que triplicou” nesta última semana.
“Acho que com a entrada da lei as pessoas tomaram mais consciência e por isso temos vendido muitas máscaras mesmo, as vendas aumentaram muito”, garantiu a farmacêutica Josefa Gomes.
A máscara, que neste momento pode ser considerada um bem de primeira necessidade, devido à pandemia da covid-19, também passou a ser o produto mais vendido na Farmácia do Leão, uma das mais frequentadas da cidade do Mindelo.
“Antes, o que vendíamos mais eram seringas, mas hoje com certeza são máscaras, há pessoas a vir comprar até pelas 06:00 da manhã, antes de irem viajar de barco para Santo Antão”, afirmou o funcionário Carlos Cruz, adiantando que as saídas nos últimos dias triplicaram tanto em vendas por unidades, como também por caixas.
A loja Medical Cabo Verde, que não é uma farmácia mas está ligada à saúde e à medicina tradicional chinesa, igualmente registou um aumento na procura em cerca de 50 por cento (%) nos últimos oito dias, informou a atendedora Paula Cruz.
Até porque também apresentam uma promoção em que uma caixa de 50 unidades de máscaras descartáveis e um frasco de 500 ml de álcool gel ficam por 1.300 escudos.
“Temos vendido muito e acredito que a lei de obrigatoriedade também ajudou na consciencialização”, considerou Paula Cruz.
Vendendo mais ou vendendo menos, todas as farmácias e também a Medical Cabo Verde confirmam “maior saída das máscaras cirúrgicas descartáveis”, que aumentaram de preço na altura do início da pandemia.
Na época podiam ser compradas por mais de cem escudos, mas agora os preços baixaram consideravelmente,entre 30 e 70 escudos, em farmácias e em outras lojas, inclusive as lojas dos chineses.
Até porque, são também as que mais os mindelenses têm usado, entre estes o aposentado José Pedro Rosário que disse que também obriga a sua empregada doméstica a usá-las durante o trabalho.
As jovens Iva Amado e Ana Zego, tanto quanto o aposentado Herculano Lima, igualmente preferem as máscaras descartáveis pelo “conforto” que oferecem.
Mas, nem todos são da mesma opinião. Nelson Maocha e Arlindo Rosário confirmaram usar somente as máscaras comunitárias, que compram a 150 escudos em costureiros e vendidas nas farmácias por 200 a 400 escudos, e que podem ser reutilizadas várias vezes após uma “simples lavagem”.
“Sempre poupamos mais dinheiro no final do mês”, afirmaram ambos, que estão igualmente de acordo quanto ao aumento do número de pessoas a utilizarem máscaras, após a entrada em vigor da lei que obriga ao uso de máscara na via pública.
Mais crítico, José Pedro do Rosário pediu maior fiscalização e aplicação das coimas, que vão de 1.500 a 15 mil escudos, porque, “muitas pessoas não estão a cumprir a lei, especialmente os estudantes”, denunciou.

Dans la même catégorie