GNA More than 5, 800 centres open for EC’s exhibition exercise in Ashanti Region GNA Voters commend EC for SMS verification platform GNA Veep supports Strategic National Stockpile establishment to tackle health emergencies GNA Government urged to develop a comprehensive cervical cancer control plan GNA Voter Register Exhibition begins smoothly but on low key GNA Peace Council to hold 2020 national youth for peace summit GNA Odweanoma Paragliding site to be commissioned during ‘Yenko Kwahu’ Festival GNA Ghana is making moderate progress in nine SDGs APS INONDATIONS : 271 FAMILLES SINISTRÉES RECASÉES SUR UN SITE DE KEUR MASSAR APS PLAN ORSEC : UNE LARGE PART SERA RÉSERVÉE À DIOURBEL, PROMET ALY NGOUILLE NDIAYE

Santa Cruz: Nativos de Matinho querem colocar a localidade no mapa do turismo rural para promover desenvolvimento


  24 Août      5        Développement durable (305), Economie (9677),

   

Pedra Badejo, 24 Ago (Inforpress) – A Associação dos Imigrantes de Matinho (AIMA), no município de Santa Cruz, interior de Santiago, quer colocar a localidade no mapa do turismo rural e cultural, aproveitando as potencialidades da zona para promover o desenvolvimento.

A intenção foi manifestada aos jornalistas, em Pedra Badejo, pelo vice-presidente da AIMA, Sabino Baessa, momentos depois da tomada de posse dos dirigentes da organização e apresentação das áreas de intervenção, que “marcam o início do combate à exclusão social” na comunidade, acto que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva.

Conforme explicou, esta estratégia visa garantir o empoderamento das famílias e, por outro lado, criar as condições para que outras pessoas possam visitar a localidade.

A AIMA é composta por 18 elementos na direcção e já tem 55 membros, prevendo ainda mais adesão de pessoas, tendo em conta que ainda está na fase inicial. No mês de Junho, a associação, que é composta por pessoas residentes no País e na diáspora, distribuiu 137 cestas básicas na zona de Matinho, de forma a ajudar as famílias a suportar os impactos da pandemia da covid-19, que agravou a situação “difícil” provocada por três anos consecutivos de seca numa zona que vive essencialmente da agricultura.

Dans la même catégorie