AGP Gabon/Covid-19: Une opération d’appui aux personnes vulnérables lancée à Libreville AGP Gabon: Le Syndicat la Sentinelle souhaite des réformes profondes de la Marine marchande AIP 69 nouveaux cas de COVID-19 le 19 septembre 2020 (Ministère) AIP Présidentielle 2020: La coordination RHDP de Gbêkê 2 lance la précampagne du candidat Alassane Ouattara AIP Une campagne contre la poliomyélite lancée à Béoumi APS INONDATIONS : 1.903 MÉNAGES SINISTRÉS DANS LA RÉGION DE KAFFRINE APS AUTOSUFFISANCE EN RIZ : MACKY SALL MISE SUR LE RIZ DE PLATEAU APS AGRICULTURE : MACKY SALL DIT ÊTRE SATISFAIT DE L’ÉTAT DES CULTURES AGP Mamou/Présidentielle: Début de l’opération de distribution des cartes d’électeurs AGP Kindia/Présidentielle : 66 commissions administratives de distribution des cartes d’électeurs

São Vicente: Operadores do turismo náutico preocupados com prorrogação das licenças


  14 Septembre      4        Développement durable (305),

   

Mindelo, 14 Set (Inforpress) – Os operadores do turismo náutico, no Mindelo, que estiveram hoje reunidos com o Instituto do Turismo de Cabo Verde (ITCV), mostram-se preocupados com a prorrogação das licenças, uma vez que muitos já perderam a época alta.

A informação avançada à Inforpress pela administradora executiva do ITCV, Zilca Paiva, que disse estar “muito satisfeita” com a adesão dos operadores ao encontro realizado esta manhã, no Mindelo, e onde, assegurou, houve “contribuições interessantes” para a concretização de um documento de “Boas práticas sanitárias para o turismo náutico” em Cabo Verde.

Por outro lado, segundo a mesma fonte, sobressaiu a questão das licenças atribuídas, principalmente para a pesca desportiva, feita em conjunto com o Instituto Marítimo e Portuário (IMP).

“Os promotores estão a pedir às autoridades alguma flexibilidade no tocante à prorrogação das licenças, uma vez que alguns já perderam a época alta de actividade”, disse a gestora, garantindo que o ITCV procurará ver, juntamente com outras entidades responsáveis, o que poderá ser feito neste sentido.

Outras das preocupações levantadas têm a ver com o prazo para a retoma e como programar as actividades a curto e longo prazos e ainda a questão de se impor ou não a quarentena.

Zilca Paiva considerou não ser da competência do instituto atribuir uma data para a retoma, mas adiantou estarem os operadores conscientes da volatilidade da covid-19 e do facto de Cabo Verde ser um país receptor que depende de outros países emissores.

“Assim que houver as condições mínimas de segurança, tenho a certeza que as autoridades competentes, para o caso dos transportes aéreos o Ministério do Turismo, anunciarão a data de abertura”, asseverou.

Por agora, conforme a responsável, o ITCV pretende dotar os seus técnicos de mais condições para monotorização e fiscalização de um conjunto de questões relacionadas com as actividades recreativas e de lazer, que se tornam em actividades turísticas.

Após São Vicente, o instituto, afiançara Zilca Paiva à Inforpress, pretende realizar o mesmo tipo de evento na ilha do Sal, mas ainda sem data agendada.

A ilha do Sal é a segunda ilha com mais empresas no ramo do turismo náutico, após São Vicente, que detém 23 das 33 empresas no activo neste momento.

Dans la même catégorie