GNA One dead, three injured in Volta Region secessionist disturbance AIP Visite d’Etat dans la Marahoué : Plaidoyer pour un appui technique et financier aux femmes du vivrier de Zuénoula AIP Alassane Ouattara invite les jeunes au travail pour consolider la paix AIP Identification: Le DG de l’ONECI à Bouaké pour s’enquérir de la situation de l’opération sur le terrain AIP Le secrétaire d’État chargé du service civique vante les mérites de son département AIP Des blogueuses se forment à la prévention des discours de haine sur les réseaux sociaux AIP La coordination RHDP du Kabadougou lance sa précampagne AIP Deux comités de veille et de prévention des conflits installés à Bondoukou APS DES JEUNES PÉPITES DE LA CAN U17 COMMENCENT À QUITTER LEUR NID APS BAISSE DE PLUS DE 50 % DES NOUVEAUX CAS DE COVID DANS AU MOINS 6 PAYS AFRICAINS

São Vicente: Todas as escolas vão ter orçamento privativo – Ministra da Educação


  27 Août      5        Education (3549),

   

Mindelo 27 Ago (Inforpress) – A ministra da Educação, Família e Inclusão Social disse hoje à imprensa que todas as escolas de Cabo Verde vão ter um orçamento privativo, no próximo ano, o que a seu ver será o início da autonomia dessas instituições.
Maritza Rosabal falava à imprensa à saída de um encontro com o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, no quadro de uma visita de dois dias que efectua à ilha.
Segundo a governante, o orçamento privativo será não só o início de uma autonomia, mas da municipalização das escolas.
“Cada escola tem um orçamento e isto é um passo rumo à autonomia e também à uma futura municipalização, mas tudo isso tem que ser reforçado em termos de formação, em termos de capacidade, em termos de planificação e de organização”, revelou Maritza Rosabal, para quem antigamente só as escolas secundárias tinham orçamento privativo.
A mesma fonte explicou que, por causa da pandemia da covid-19, o novo ano lectivo será atípico, pelo que o Ministério da Educação está a trabalhar em cenários diferentes de concelho para concelho e até dentro do mesmo município para o arranque do ano lectivo. Este trabalho, ajuntou, tem sido feito com os professores e com a comunidade educativa.
O ano lectivo vai funcionar de acordo com a situação sanitária de cada concelho, adiantou Maritza Rosabal, que informou ainda que “a regra número um é minimizar os efeitos do fecho antecipado do ano lectivo e garantir as aprendizagens”.
Sendo assim, explicou, as cinco primeiras semanas serão dedicadas à ressocialização das crianças ao espaço escolar e aos diagnósticos das aprendizagens.
Ou seja, “saber de onde estão para poder começar a partir daí”, sintetizou a ministra da Educação para quem os professores vão começar com conteúdos mínimos para depois seguir com conteúdos novos.
Sobre o encontro com o presidente da câmara, Augusto Neves, segundo a ministra serviu para conhecer a cobertura e a actualização do cadastro social único, cujo processo, segundo explicou, “já está muito avançado”.
O encontro permitiu ainda, conforme a governante, conhecer os passos sobre a implementação do programa de apoio de inclusão produtiva das famílias.
Da agenda de visita da ministra da Educação em São Vicente consta ainda encontros com equipas de gestão de agrupamentos, reunião com a delegação do Instituto da Criança e do Adolescente (ICCA) e visita às escolas com necessidade de reabilitações.

Dans la même catégorie