MAP La République du Congo officiellement connectée au câble sous-marin « 2Africa » MAP La Namibie et le PAM s’associent pour renforcer la sécurité alimentaire et la gestion des catastrophes ANGOP Les États-Unis allouent un million de dollars pour un projet de biodiversité à Cuando Cubango AGP Guinée: Le mouvement syndical suspend sa grève générale UNA-ANP Médine : Début de la 44ème édition du Forum Al-Baraka sur les objectifs de la Charia et le cadre réglementaire de l’économie islamique AIB Jeux_africains 2024 : le Burkina Faso y participe avec 15 disciplines AIP L’UNESCO renforce les capacités des cadres de l’administration burkinabè en prospective stratégique AIP SIA 2024 : Laurent Tchagba tisse un partenariat solide avec l’ONF de France pour la restauration du couvert forestier AIP La JCI « Abidjan soleil » place La 4è édition de Women’s day sous le signe du leadership féminin en entreprise MAP Guinée: libération d’un responsable syndical, revendication majeure des grévistes

São Vicente: URDI 2023 foi uma edição de maturidade – ministro da Cultura


  4 Décembre      12        Culture (1440),

 

Mindelo, 04 Dez (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas acredita que a Feira de Artesanato e Design (URDI), que terminou neste domingo, no Mindelo, revelou-se a “edição maturidade” que mostra a gestão colectivista do Ministério.
Abraão Vicente, que subiu ao palco na noite deste domingo para tecer as palavras de encerramento perante uma Praça Nova (Praça Amílcar Cabral) “a abarrotar pelas costuras” de visitantes, enalteceu a 8ª edição do evento, que disse ter sido de maturidade e revelando a colectividade.
“A gestão do Ministério da Cultura é uma gestão colectivista, de cooperação. É um trabalho de equipa. Não é o ministro Abraão Vicente quem faz as coisas acontecerem, mas, uma larga e vasta equipa que faz movimentar a cultura, das artes plásticas ao folclore, do Carnaval à música”, lançou.
O ministro aproveitou ainda a oportunidade para relembrar que o dia de hoje, 03 de Dezembro, assinala o Dia Nacional da Morna, género musical cabo-verdiano património da Humanidade.
“Morna que é património do Mindelo, porque daqui do Mindelo, B. Léza, daqui do Mindelo Bana e Cise”, sublinhou Abraão Vicente, para quem celebrar a morna é celebrar o percurso feito por Cabo Verde “para colocar a nossa alma, na alma da humanidade”.
Um percurso, segundo a mesma fonte, que poderá ser feito agora pelo artesanato, considerado património nacional, mas, que poderá algum dia chegar a património da humanidade.
Referindo-se à feira em si, o governante agradeceu à Câmara Municipal de São Vicente pelo “forte engajamento”.
“Eu continuo a dizer que São Vicente é especial quando da cultura queremos falar, porque é praticamente impossível termos uma outra cidade de Cabo Verde com esta disponibilidade para receber, acolher, germinar e fazer acontecer eventos desta montra”, advogou Abraão Vicente.
Por seu lado, o presidente substituto da Câmara Municipal de São Vicente, José Carlos da Luz, considerou que URDi é uma aposta ganha e que pode continuar a contar com a parceria da edilidade, “pois a cada ano assiste-se a uma ascensão qualitativa e quantitativa, contribuindo para o sucesso do evento”.
“Durante cinco dias, Mindelo, São Vicente, respirou profundamente a cultura e a criatividade dos nossos artesãos e fazedores da cultura, aliás, não se podia esperar outra coisa visto que São Vicente é palco de grandes actividades culturais”, afiançou, mencionando eventos como Carnaval, Festival Baía das Gatas e outros.
A 8ª edição da URDI teve como um dos municípios destaque o Tarrafal de São Nicolau que, conforme o presidente da câmara municipal, José Freitas, trouxe a Mindelo tudo que de melhor existe em São Nicolau e agora leva um misto de tristeza e alegria pelo jeito como foram bem-recebidos.
Também representando o outro município destaque, São Filipe (Fogo), a vereadora da Cultura, Lia Barbosa, confirmou levar para casa uma experiência que não vai esquecer jamais.
Durante o encerramento foi ainda entregue o Prémio Djoy Soares, que coube ao artesão Silvino Delgado com as casas tradicionais de Santo Antão e o Prémio Técnico ao Euclides dos Santos com o trabalho “Tubarão”.

Dans la même catégorie