APS VERS ’’DES DISPOSITIONS PRATIQUES » POUR LE « PAIEMENT SYSTÉMATIQUE’’ DES INDEMNITÉS DES EXAMENS ET CONCOURS APS SÉCURITÉ DE PROXIMITÉ : MACKY SALL PROLONGE D’UN AN LES CONTRATS DES AGENTS DE LA PROMOTION 2014 APS LA DEUXIÈME PHASE DE LA CMU SERA LANCÉE CETTE ANNÉE, SELON MACKY SALL APS A CAUSE DU COVID-19, LE GOUVERNEMENT SUSPEND SES CONFÉRENCES BIMENSUELLES JUSQU’À NOUVEL ORDRE APS ARACHIDE : À KAOLACK, LA SONACOS EST EN RETARD SUR SES OBJECTIFS DE COLLECTE (DIRECTEUR) APS L’UNICEF OFFRE DES KITS SCOLAIRES À DES ÉLÈVES DE FAMILLES VULNÉRABLES DE ZIGUINCHOR GNA Kotoko moves to third place on league log after beating Dwarfs GNA Ayebeng Memorial Kindergarten Block gets facelift GNA Avoid over enrollment of school pupils- Director of Education GNA Parliament stands down motion to suspend payment of university fees

Secretária-geral da Assembleia Nacional reconhece que novo PCCS “não satisfaz todas exigências dos funcionários”


  10 Décembre      23        Société (27506),

   

Praia, 10 Dez (Inforpress) – A secretária-geral da Assembleia Nacional, Marlene Dias, reconheceu hoje que o novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), aprovado em 2019, não satisfaz todas as exigências dos funcionários, garantido que as reivindicações estão a ser resolvidas.
Marlene Dias falava à imprensa, à margem da cerimónia de recepção de uma delegação constituída por membros da Comissão de Serviços da Assembleia Nacional, ramo dos Recursos Humanos do Parlamento Nigeriano, que iniciou hoje uma visita a Cabo Verde onde, até o próximo dia 13, estarão a conhecer a realidade parlamentar e trocar experiências.
“O nosso PCCS foi aprovado recentemente e teve um impacto bastante grande em termos financeiros, mas ainda não conseguimos dar satisfação a todas as exigências dos funcionários”, afirmou a secretária-geral da Assembleia Nacional.
Ainda nas suas declarações, Marlene Dias frisou que é sabido que não há nenhum PCCS que não tenha nenhuma discussão polémica e que seja consensual do princípio até ao fim.
“Cem por cento de satisfação, às vezes, é impossível, mas é um caminho a percorrer. Neste momento o nosso impacto financeiro foi 18 mil contos devido ao PCCS e, portanto, não podemos fazer tudo”, prosseguiu, fazendo alusão ao momento em que o País e o mundo enfrentam “uma crise muito profunda”.
Entretanto, garantiu que as reivindicações “sempre foram ouvidas, estão a ser resolvidas”. Aliás, afirmou Marlene Dias, “foram, na maioria, resolvidas nesse PCCS”.
“Uma ou outra questão que possa a vir a existir sempre será e terá sempre a oportunidade de ser discutida futuramente. Estamos agora no fim do ano, o orçamento no fim, temos que fechar esse, consolidar o que já temos e depois pensar no futuro”, finalizou.

Dans la même catégorie