Inforpress Praia: Adolescente desaparecido e familiares acusam autoridades de falta de colaboração na busca GNA Ronidany set to create biggest residential hub in Ghana GNA MTN launches 2021 MoMo Month, calls for utilisation of payment platforms GNA Collins Dauda, four others granted bail in $200 Saglemi Housing Project Scandal GNA Court remands man over robbery ABP Société / Des agriculteurs de Banikoara sommés de respecter les couloirs de passage des animaux du corridor Banikoara-Kandi ABP Religion / Le nonce apostolique visite les handicapés du centre diocésain Béthesda de Lokossa ABP Gouvernance / Renforcement des capacités des agents des collectivités locales de Malanville sur la déontologie administrative ABP Coopération / La Chine offre un important lot de matériels et d’équipements de bureau à l’Assemblée nationale du Bénin ABP Social / Les promoteurs des centres d’accueil sensibilisés sur l’importance de l’ordonnance de placement et de retrait de l’enfant en milieu institutionnel

Sindicato Nacional dos Condutores Profissionais insurge contra concorrência desleal e pede isenção de impostos


  13 Novembre      25        Société (34677),

   

Cidade da Praia, 13 Nov. (Inforpress) – O Sindicato Nacional dos Condutores Profissionais (SINCOP) chamada a atenção das autoridades nacionais sobre a concorrência desleal que afecta os transportes públicos urbanos, particularmente táxis e exige a isenção de imposto de finanças por falta de sustentabilidade.

Esta reivindicação foi manifestada esta manhã em conferência de imprensa pelo vice-presidente do SINCOP, Carlos Semedo, que justificou a solicitação em como a taxa dos 30.000 escudos que cada táxi paga anualmente junto das Finanças está a tornar-se insustentável para os proprietários, face à situação pandêmica da covid-19.

Sublinhou que a este imposto acrescenta ainda uma outra taxa anual de 25.000 escudos junto das câmaras municipais, para além de um cartão de licença de 1500 escudos aprovado na assembleia municipal e que de 2018 a esta parte, vem sendo inflacionado em 5.000 escudos.

Daí, ressalvou, o SINCOP pede a reposição da justiça, isto é, a devolução do remanescente.

Quanto à concorrência desenfreada que disse estar a tornar prática no país, revelou que se nota maior predominância nos concelhos da Praia, Santa Catarina de Santiago, São Vicente, Sal e Boa Vista, razão pela qual critica a falta de fiscalização dos serviços e instituições vocacionados para pôr cobro a tais arbitrariedades.

Esta reclamação, referiu, é destinada sobretudo à Direcção-Geral dos Transportes Rodoviários, Ministério da Administração Interna e câmaras municipais, com a SINCOP a ressaltar que, não obstante a vários contactos com estas entidades, no sentido de travar esta concorrência desleal, sobretudo na Cidade da Praia, a situação continua a agravar-se.

O sindicalista disse que na Cidade da Praia estão licenciados 712 táxis, mas que circulam seguramente um número muito superior nesta urbe, com o agravante de estar a trabalhar neste concelho viaturas de alugueres licenciados noutros municípios, designadamente de São Miguel, de Santa Catarina, da Boa Vista e do Sal.

“Entendemos que o Governo deve assumir o seu compromisso no sentido de trabalhar para uma fiscalização efectiva porque estamos a sentir um clima de abandono neste sector que contribui para a economia do País, mas que continua sem protecção do mercado onde labora”, protestou.

Carlos Semedo alertou as autoridades nacionais que o sindicato está determinado numa outra forma de luta, isto é, partir para as manifestações caso persista esta situação que, atestou, vem afectando sistematicamente toda a classe.

Dans la même catégorie