AGP Mamou: suspension et report de la mise en place du conseil communal de Ouré-Kaba suite à un malentendu entre élus du RPG AGP Ville de Conakry: la journée de participation citoyenne  » Conakry Ville Propre » aura lieu le samedi 26 janvier 2019 AGP MEF : le gouvernement guinéen et le groupe de la Banque mondiale signent un accord de financement de projet de mobilité et de connectivité rurale AGP Le Président Alpha Condé lance le numéro d’immatriculation de la direction nationale des Impôts AIP Côte d’Ivoire/ Les chefs traditionnels s’inquiètent des problèmes de cohabitation entre les communautés à Agboville AIP Côte d’Ivoire/ Une grève des enseignants paralyse l’école à Agboville AIP Côte d’Ivoire/ Un opérateur économique offre des bureaux à l’IEP Bouaflé Centre AIP Côte d’Ivoire/ La grève des établissements secondaires publics effective à Man ACP Appel à un renouveau citoyen et à la participation à la reconstruction du Congo ACP Le Président Félix Antoine Tshisekedi Tshilombo appelé à traduire en actes les attentes de la jeunesse congolaise

Tcherno Djalo lança primeira obra literária


  29 Janvier      24        Arts & Cultures (2293), Culture (2000), Livres (272),

   

Bissau, 29 Jan 16 (ANG) – O Professor Doutor e actual Conselheiro do Presidente da República, Tcherno Djalo efectuou quinta-feira o lançamento da sua primeira obra literária no país intitulada  » O Mestiço e o Poder: Identidades, Dominações e Representações na Guiné ».

Durante o acto de lançamento, o escritor admitiu a imprensa que o título da obra é provocador, mas sem tendência maliciosa porque pretende contribuir para banir o preconceito existente entre o povo da Guiné-Bissau e Cabo-Verde.

O autor destacou que preocupou-lhe mais estudar a componente mestiça, porque é a parte que se identifica como o contexto e a realidade guineense.

Acrescentou que a Guiné-Bissau é o resultado de uma simbiose « Euro-Africano » entre portugueses e guineenses, de interacção histórica de contacto de povos e cultura de três países, nomeadamente Cabo-Verde e Portugal.

Tcherno Djalo revelou que sempre procurou saber da importância do papel da união da comunidade mística e crioula ao longo da história dos respectivos países.

Na visão do escritor, a ignorância em várias ocasiões traduz-se em estigmatizações rejeições, exclusões e conflitos.

 » A história é feita de facto. Estes são teimosos, nós não podemos escamoteia-los », concluiu o escritor.

Referindo-se a obra, o escritor Adulai Sila destacou que no momento em que o país vive mais um episódio de crise política, constitui o lançamento de mais uma obra que poderá contribuir para o entendimento e criar a capacidade de tolerar uns aos outros, para em fim criar um caminho para a construção da nação guineense.

Para o Embaixador de Portugal acreditado no país, António Leão Rocha, a referida « Obra literária » do Professor Tcherno Djalo, vai contribuir na compreensão da realidade social e política guineense.

Rocha realçou que a função cultural e social de um Centro Cultural, como o português, no país, também é a divulgação literária e a promoção do debate de ideias.

Segundo o Embaixador de Portugal, independentemente de concordarem ou não com a análise do autor, considera que estão perante um contributo científico que ajudará na interpretação da história da actualidade social guineense.

 » Tendo em consideração as dificuldades políticas que se conhecem e que uma vês mais estão a perturbar a estabilidade, a paz e o desenvolvimento sustentado da Guiné-Bissau, parece-me muito oportuno este livro », disse Leão Rocha.

O Diplomata Português advertiu por outro lado que a sua leitura perante o sentido do livro, foi muito útil para compreender muitos aspectos dos comportamentos político guineense, e de algumas realidades sociais e sua projecção no espaço do poder que, por vezes, escapam a um europeu observador externo que ele é.

A feitura da referida obra do Professor Tcherno Djalo, durou cerca de seis anos.

E relata análise sociológica e politológica da história de elites da Guiné-Bissau, das suas linhas de identidade e de futura. Propõe que, no país, ocorre desde a sua fundação uma circunstância desconhecida para o conceito ocidental e clássico de formação do poder do Estado.

ANG

Dans la même catégorie