GNA Christians advised not to be complacent about Covid-19 MAP Egypte: des nouveaux « trésors » archéologiques dévoilés au public GNA GES Director assure parents of children safety in school GNA La Pleasure Beach priorities safety protocols as revelers visit GNA FDA destroys unwholesome goods in Cape Coast GNA Total disregard for Covid-19 Safety Protocols at various Markets GNA Ghanaian Ahmadis to benefit from new terrestrial TV Channel GNA Noguchi Memorial Institute investigates alleged falsification of COVID-19 test results GNA Commuters still adamant to observing covid-19 protocols ACP CHAN/Cameroun : 4 Joueurs des Léopards testés positifs au coronavirus

Trabalhadores do Instituto de Emprego e Formação Profissional iniciam hoje greve de três dias


  8 Décembre      17        Société (27366),

   

Praia, 08 Dez (Inforpress)- Os trabalhadores do Instituto de Emprego e Formação Profissional iniciam hoje uma greve de três dias, contra a “falta de garantia da publicação do Plano de Cargos Carreiras e Salários, da grelha salarial e da lista de transição”.
Em declarações à Inforpress, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap), Luís Lima Fortes, afirmou que, do encontro de mediação efectuado pelo sindicato junto da Direcção-Geral do Trabalho e do Governo, “não saiu nenhuma garantia” da publicação desses dois documentos, apesar de serem uma “reivindicação antiga desses trabalhadores”.
“Ficaram por oferecer um documento com a aprovação desses dois instrumentos, mas até agora não o recebemos. O Sintap não tem elementos suficientes para levantar a greve”, explicou o sindicalista, para quem “enquanto não houver garantias vão prosseguir com a greve”, porque “os trabalhadores já estão fartos de promessas”.
Conforme Luís Lima Fortes, além da não publicação do PCCS e da lista de transição, havia outras reivindicações cujo o efeito deveria ser a partir de 1 de janeiro de 2020, mas, foram prorrogadas para 1 de janeiro de 2021.
No dia 26 de Novembro, ao anunciar o pré-aviso de greve, o líder do Sintap dissera em conferência de imprensa que a primeira proposta para a aprovação do PCCS e da lista de transição e grelha salarial aconteceu em 2017, mas o processo “tem consumido tempo, energia e recursos significativos” aos funcionários do IEFP.
Luís Lima Fortes afirmou que desde Setembro de 2020, altura em que os sindicatos apresentaram a última proposta com “alterações significativas” do PCCS à secretária de Estado da Modernização Administrativa, na presença dos representantes do IEFP, “não houve nenhuma informação e garantia sobre a aprovação” do documento por parte do Governo.

Dans la même catégorie