ANP Le parti RPP Farilla investit Alma Oumarou candidat aux élections présidentielles 2020 -2021 ANP Niger : Le journaliste écrivain Salou Gobi investi candidat à la présidentielle 2020-2021 AGP Gabon : L’archevêque Jean Baptiste Moulacka arrêté puis relaxé après 2 heures dans un commissariat ANGOP Covid-19: Angola regista 46 novos casos APS MÉDINA BAYE : ANSAROU DINE RENOUVELLE SES ENGAGEMENTS AU NOUVEAU KHALIFE APS UN OFFICIEL DÉCLINE ‘’SEPT ACTIONS’’ POUR LE DÉVELOPPEMENT DU TOURISME EN MILIEU RURAL APS EDOUARD MENDY ENRICHIT SES ANCIENS CLUBS (MÉDIA) APS LE PROJET DU MUSÉE-MÉMORIAL ’’LE JOOLA’’ PRÉSENTÉ AUX CHEFS COUTUMIERS DU KASSA AGP Gabon : Le CLR installe les nouveaux responsables dans la Noya MAP Kenya: Saisie à Juja de 700 kilogrammes de cannabis et arrestation de cinq trafiquants

Transportes marítimos/SOTRAMAR precisa de 9 mil milhões de francos CFA para aquisição de duas embarcações


  8 Septembre      14        Economie (9749),

   

Bissau, 08 Set 20 (ANG) – A Sociedade de Transportes Marítimos  da Guiné-Bissau(Sotramar), precisa de 9 mil milhões de francos cfa para aquisição de dois barcos de transportes de passageiros e pagamento de  dívidas salariais aos funcionários da empresa.  

A revelação foi feita hoje pela  Directora-geral  da SOTRAMAR, Famata Nanque, em entrevista exclusiva à ANG.

Famata  justificou que a necessidade de fazer esses investimentos devido a avaria dos três navios e sem possibilidades de reparação, com os quais a empresa operava.

 “A reparação das referidas embarcações acarretam enormes custos, pelo que é preferível adquirir novos barcos para minimizar o sofrimento das pessoas nas ilhas”, sustentou.

Aquela responsável disse que é muito arriscado para população sair das ilhas de canoa para Bissau, acrescentando que o barco da empresa CONSULMAR não pode satisfazer todas as necessidades das pessoas que vivem nas ilhas.

« O problema de  SOTRAMAR não é nada fácil. Chegamos numa situação muito difícil. A minha direcção herdou dívidas de trabalhadores que ronda quase 600 milhões de francos CFA, além de dívidas  com outras empresas dentre as quais o Estaleiro Naval, que ronda os  200 milhões de fcfa”, disse.

referiu que  herdaram  a empresa numa situação financeira deplorável com zero francos nos cofres, frisando que contudo, com esforço interno e do governo estão a fazer tudo para erguer a empresa.

Famata Nanque acrescentou que os funcionários da empresa já vão ao sexto mês sem salários e subsídios.

“Estamos a fazer contactos e parcerias que achamos que brevemente vai permitir a empresa funcionar e ter pelo menos um ou dois barcos”, prometeu Famata Nanque, em entrevista a ANG.

Disse que através do ministro de tutela já se apresentou um programa ao Conselho de Ministros, onde se destaca a urgência de se adquirir
barcos, visto que a empresa é autónoma pelo que  tem que render para sustentar as suas despesas.

Dans la même catégorie