AGP Pénurie récurrente des produits pétroliers à Makokou AGP Gabon Oil Company réalise un résultat net de 18 milliards de francs CFA en 2018 MAP Le Groupe BOA, détenu par la BMCE-Bank, va distribuer environ 59 millions d’euros de dividendes pour l’exercice 2018 AIP Côte-d’Ivoire / Le nouveau code forestier présenté aux coopératives agricoles à Arrah AIP Près de 73% de femmes en couches ont accès aux centres de santé en Côte d ‘Ivoire (UNFPA) AIP Côte d’Ivoire / Le lycée moderne de Vavoua cambriolé GNA The Blend group mingles with CP children on Good Friday GNA TWMA to sanction two staff for extortion GNA Rededication, zero corruption and hard work key to nation building AIP Côte d’Ivoire/Les meilleurs agents des secteurs socioprofessionnels de Gbêkê primés

Uma visita de Jorge Carlos Fonseca a Bissau acarreta o risco de ele ser envolvido na campanha eleitoral – líder do PAIGC


  12 Février      19        Securité (5045),

   

Cidade da Praia, 12 Fev (Inforpress) – O líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, disse que uma visita de Jorge Carlos Fonseca à Guiné-Bissau acarreta o “risco de ele ser envolvido na campanha eleitoral” a que, certamente, “ele não quer fazer parte”.
“Este risco é que pode dar lugar a reacções que podem  não ajudar e podem não ser uma boa propaganda para aquilo que são os laços de proximidade e de fraternidade existentes entre a Guiné-Bissau e Cabo Verde, indicou o presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, que alertou ao Presidente da República, que é também presidente em exercício da CPLP,  sobre a sua visita anunciada, em Bissau, para dois dias antes do início das campanhas eleitorais para as legislativas marcadas para 10 de Março.
Domingos Simões Pereira fez essas declarações à imprensa à saída da audiência com Jorge Carlos Fonseca que o recebeu no último dia da sua estada em Cabo Verde para encontros com entidades nacionais e a comunidade guineense radicada no país.
Segundo ele, neste momento, “é evidente e óbvia a dificuldade” do Presidente da Guiné-Bissau em “manter alguma equidistância” em relação ao jogo político na Guiné-Bissau e, por isso, “está mais do que claro” o risco a que está associada uma eventual visita de Jorge Carlos Fonseca a Bissau.

Dans la même catégorie