AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Retour au calme à M’Bahiakro après une journée de tension AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Instauration d’un couvre-feu à Dabou AIP Communiqué du Ministère de la Santé et de l’Hygiène Publique « Point de la situation de la COVID-19 au 21/10/2020 » GNA No mammography machine in Northern Ghana for breast cancer care GNA AfCFTA wants structured relationship with GNCCI to boost growth GNA Director-General of NSA donates to two constituencies in Ashanti Region APS L’UNIVERSITÉ DE THIÈS PILOTE UN PROJET D’OPTIMISATION DE LA CHIMIOPRÉVENTION DU PALUDISME SAISONNIER APS LE MASQUE, ÉQUIPEMENT DE PROTECTION, SOURCE DE DÉCHETS GNA Geological Survey Authority installs earthquake early warning equipment GNA Sanitation remains the greatest challenge in Accra – Regional Minister

União Europeia/Comissão apresenta novo Pacto para as Migrações e Asilo


  23 Septembre      9        Droits de l'Homme (403),

   

Bissau, 23 Set 20 (ANG) – A proposta de novo Pacto para as Migrações e Asilo vai ser apresentada na Comissão Europeia em Bruxelas, na Bélgica, depois de sido adiada várias vezes devido à pandemia de Covid-19.
O novo Pacto tem por objetivo criar um quadro abrangente, sustentável e resistente às crises para a gestão da política de asilo e de migração na União Europeia, isto para evitar problemas como os que aconteceram na Grécia.

Recorde-se que o campo de refugiados de Moria na ilha de Lesbos, na Grécia, ficou praticamente destruído depois de vários incêndios terem deflagrado.

O novo Pacto cobrirá a totalidade das rotas migratórias, desde os países de origem e de trânsito até aos países de acolhimento na União Europeia, isto vai permitir colmatar lacunas no Sistema Europeu Comum de Asilo.

Este novo Pacto, que deve substituir a Convenção de Dublin, prevê que os requerentes de asilo sejam acolhidos no primeiro país da UE a que cheguem.

No entanto há quem já esteja contra esse novo Pacto. Em declarações à AFP, Agência de notícias francesa, o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, afirmou que «a distribuição na Europa» de requerentes de asilo «fracassou e que vários Estados a rejeitam», acrescentando que essa política «não vai funcionar».

Para Sebastian Kurz, é necessário «proteger melhor as fronteiras externas da União Europeia, uma luta conjunta contra os traficantes e enviar ajuda para os locais».

Enquanto uns estão contra o projecto, outros estão a favor como a presidente da Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen.

Para Ursula von der Leyen «a migração sempre foi uma realidade do continente europeu», ela que esperar agora que se chegue a um «compromisso».

O debate promete ser intenso visto que, para além da Áustria, Hungria, Polónia e países do norte da Europa opõem-se ao projecto, enquanto França e Alemanha estão a favor, isto para ajudar as nações que estão na linha da frente na questão migratória, como a Itália, a Grécia, Malta ou ainda a Espanha.

Dans la même catégorie