AGP Gabon/Education nationale: L’année scolaire 2020-2021 sera découpée en deux quadrimestres ANGOP Covid-19: Angola regista 355 novas infecções nas últimas 24 horas MAP Coupe de la CAF: La Renaissance de Berkane décroche le titre aux dépens des Égyptiens du Pyramids AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: La CEI forme 455 agents électoraux à Dimbokro AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Une année pastorale placée sous le signe de la paix à Sikensi MAP Le Maroc condamne vigoureusement la poursuite de la publication des caricatures outrageuses à l’Islam et au Prophète Sidna Mohammed (communiqué) GNA Alavanyo NPP supporters embark on health walk GNA Statistical Service opens recruitment for university graduates GNA Sekondi Takoradi Catholic Diocese gets three new priests GNA Businesses asked to develop communication strategies to cross cultural barriers

UNOCT/Marrocos e ONU criam escritório de combate ao terrorismo em África


  8 Octobre      19        Politique (12198), Securité (1661),

   

Bissau, 08 Out 20 (ANG) – Marrocos e a Organização das Nações Unidas (ONU) assinaram, terça-feira, por videoconferência, um acordo de sede para a instalação no primeiro dum Escritório do Programa de Luta contra o Terrorismo e Formação em África (UNOCT, sigla em inglês).

Assinado pelo ministro marroquino dos Negócios Estrangeiro, Cooperação Africana e dos Marroquinos no Estrangeiro, Nasser Bourita, e pelo secretário-geral adjunto da ONU para a luta contra o terrorismo, Vladimir Voronkov, este acordo reflecte a ambição de unirem esforços para enfrentarem desafios ligados à crescente ameaça terrorista em África nos últimos anos.

Este escritório, o primeiro do género em África, visa “reforçar a capacidade dos Estados membros na elaboração de programas nacionais de formação na luta contra o terrorismo”, indicou Bourita, quando falava à margem da cerimónia de assinatura.

Afirmou que Marrocos se comprometeu a trabalhar em conjunto com esta nova estrutura, por forma a criar uma pasta dinâmica de formação avançada que evolua e se adapte à missão, em perpétua mudança e cada vez mais difícil, de prevenção, detecção e repressão das actividades terroristas.

Segundo Bourita, para se ter sucesso nesta aposta, “as nossas acções devem estar em perfeita sintonia com as necessidades dos Estados africanos, em complementaridade com várias iniciativas lançadas por estes Estados, desenvolvidas com o contributo dos Estados africanos e partilhadas entre parceiros numa abordagem cooperativa e solidária. »

A criação do centro, fruto de um trabalho árduo que durou mais de nove meses, ocorre num momento em que África é vítima de um « recrudescimento alarmante” de actos terroristas em 2020, considerou o chefe da diplomacia marroquina.

Estes actos aumentaram 31 por cento desde 2011, atingindo quatro mil 100 ataques no primeiro semestre deste ano, enquanto o número de mortes por terrorismo saltou 26 por cento num ano, ou seja, 12 mil 507 contra nove mil 944 nos seis primeiros anos de 2019, referiu.

No Sahel, palco do surto de violência mais significativo, actos de Jama’at Nusrat al Islam wal Muslimin (JNIM) e Daesh (Estado Islâmico) multiplicaram-se por sete desde meados de 2017, indicou o ministro.

No Lago Tchad, o número de vítimas de ataques terroristas da seita islamita nigeriana Boko Haram e do Daesh quase se duplicou desde Junho de 2017, passando de 506 para 964 vítimas, alertou o diplomata.

Estes dados, concluiu o ministro, sublinham que África precisa, mais do que nunca, de uma « acção imediata e determinada” para estabilizar o continente, consolidar a sua segurança e concentrar-se no desenvolvimento sustentável.

Dans la même catégorie