ATOP L’ONG CATHOLIC RELIEF SERVICES (CRS) A OBSERVE LA JOURNEE COMMUNAUTAIRE ATOP DROITS DE L’HOMME ET CORRUPTION AU TOGO : LE CACIT FORME LES ACTEURS ATOP LES ACTEURS EN ATELIER BILAN A KARA ATOP LE PRIX TOGOLAIS DE LA QUALITE ET LES JOURNEES NATIONALES DE LA QUALITE LANCES GNA We urgently need electricity and water-Kandema residents GNA Absence of decentralized state institutions hindering access to services – Study GNA President launches 2017/2018 census on agriculture report GNA Zanko Paani residents in dire need of potable water AIP Présidentielle 2020: Patrick Achi vante les mérites du candidat Alassane Ouattara à Grand-Bassam AIP Présidentielle 2020: Le préfet de Dabou lance un appel au calme

UNTC – CS defende que as acusações na imprensa dos sindicatos filiados são falsas, infundadas e de má fé


  13 Octobre      10        Société (23961),

   

Cidade da Praia, 13 Out (Inforpress) – A União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), reagiu hoje às denúncias feitas esta segunda-feira, pelos sindicatos filiados representados pelo presidente do Siscap, defendendo que são falsas infundadas e de má fé.
Os sindicatos filiados na UNTC-CS denunciaram esta segunda-feira, 12, que a central sindical procedeu ao aumento arbitrário de quotas de filiação e violação dos estatutos, admitindo que as quotas foram até quadruplicadas o valor em alguns casos, o que consideram der “um absurdo”.
Em conferência de imprensa esta terça-feira, na Cidade da Praia, para fazer uso do direito de resposta em representação da UNTC-CS, a coordenadora do departamento da administração e finanças, Margarida Monteiro explicou que, o que aconteceu na realidade é atualização de quotas de filiação e não uma decisão da secretária geral.
“A comissão permanente, órgão de gestão devidamente mandatada pelo secretário nacional deliberou pela atualização de quotas de filiação e não é uma decisão da secretária geral”.
Entretanto, garantiu que o departamento da administração e finanças da UNTC-CS tem solicitado os sindicatos a enviarem os relatórios de actividades e contas de modo a se proceder à correcta atualização dos 10% de quotas, mas nunca o fizeram, razão por que recorreram a uma estimativa e duplicaram as quotas, salientando que o único sindicato que enviou relatório foi o da ilha de Santo Antão.
A responsável admitiu ainda que o Sindicato da Indústria, Serviços Comércio, Agricultura e Pesca (Siscap), diminuiu, de forma unilateral, desde 2014 a quota de filiação que pagava à UNTC-CS de 10 mil escudos para 7 mil escudos.
Segundo Margarida Monteiro, este valor nem sequer chega a 2% do valor que o Siscap arrecada, razão por que questionou se “será que Siscap desde 2014 tem arrecadado apenas 75 mil escudos mensais? Porque será que o Siscap nunca apresentou as contas à UNTC-CS? Realçou ainda.
Para a representante da Central Sindical, nem o Siscap e nem os outros sindicatos mencionados ontem (segunda-feira) pelo porta-voz Eliseu Tavares, têm “moral de questionar a deliberação do V Congresso, que desde 2005 estipulou em 10% a quota de filiação e que foi reforçada em 2016 no VII Congresso, no artigo 57º dos estatutos”.
“Desafiamos, pois, não só ao Siscap como aos outros sindicatos a irem urgentemente às barras dos tribunais contra a UNTC-CS, porque só assim prestarão contas à UNTC-CS”, asseverou Margarida Monteiro.
De entre outros incumprimentos dos sindicatos, a responsável mencionou também o sindicato da ilha do Sal, referindo que o mesmo “unilateralmente diminui as quotas que pagava de 34 mil escudos para 15 mil escudos sem justificação e à margem dessa diminuição constrói a sua sede de dois pisos”.

Dans la même catégorie