GNA China ready to lead global economic rebound APS L’ANER EST EN TRAIN D’INSTALLER DES MINI-CENTRALES SOLAIRES DANS LE MONDE RURAL, SELON SON DIRECTEUR GÉNÉRAL APS MALICK DAFF SE SATISFAIT DU RÉSULTAT APS KALIDOU KASSÉ EXPOSE ‘’GIS GIS BU BEES’’, SA NOUVELLE VISION PICTURALE APS COUPE DE LA CAF : LE JARAAF PREND UN LÉGER AVANTAGE LORS DE LA MANCHE ALLER ANP Maradi : Le Président Issoufou Inaugure la route Maradi-Madarounfa-frontières Nigéria ANP Niger : Le parlement adopte le statut du personnel militaire des forces Armées AIP Côte d’Ivoire-AIP/ 29 cas de COVID-19 notifiés le 28 novembre 2020 (Ministère) AIP Côte d’Ivoire-AIP/Journée internationale des droits de l’enfant: Les parents exhortés à déclarer leurs enfants à l’état civil AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Journée internationale des droits de l’enfant: Les enfants de Bouaflé exhortent leurs parents à maintenir la cohésion sociale

Vice-PM quer que os países da CPLP partilhem suas experiências no domínio da governação electrónica


  29 Octobre      10        Technologie (320),

   

Cidade da Praia, 29 Out (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, manifestou quarta-feira o desejo de os países da CPLP “partilhar experiências, recursos e conhecimentos” no domínio da governação electrónica, a fim de garantir que as tecnologias sejam colocadas ao serviço das pessoas.
“Chegámos à conclusão que o que está em causa é colocar os governos cada vez mais ao serviço das pessoas e com uma melhor gestão ao nível da administração pública e colocando as tecnologias ao serviço deste objectivo, indicou o também ministro das Finanças.
O governante, que tutela a Administração Pública, fez essas declarações à imprensa no final da primeira reunião interministerial de governação electrónica da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), a que presidiu, através de videoconferência, na qualidade de ministro que tutela a governação electrónica do país que detém a presidência rotativa da organização intercontinental.
Anunciou que os ministros decidiram trabalhar uma agenda para a governação digital ao nível da CPLP, qual, depois, vai ser aprovada para permitir que sejam criados pontos de consenso e um alinhamento em relação à aceleração das reformas que vão ser empreendidas ao nível da governação digital nos respectivos países.
Para Olavo Correia, a governação electrónica deve ser focada nas pessoas, na “transparência e no acesso mais cómodo em relação a vários serviços que o Estado coloca à disposição dos cidadãos”.
Afirmou, por outro lado, a “elevada preocupação” em relação à segurança dos dados e à confiança que deve ser construída para que os cidadãos possam relacionar-se com tranquilidade com o Estado, utilizando as ferramentas tecnológicas e de comunicação.
Da declaração final do encontro consta uma proposta de regimento interno da reunião dos ministros responsáveis pela governação electrónica para garantir a continuidade destes encontros.
Foi mandatado o secretário executivo da CPLP para, em concertação com as presidências em exercício da organização, propor a inclusão nas agendas do trabalho a discussão do papel das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), porque é um tema transversal a todos os sectores.
Foi igualmente constituído um grupo de trabalho, compostos pelos pontos focais, para elaborar uma proposta de plano de trabalho de governação electrónica a ser submetida aos ministros responsáveis pelo sector para ser aprovada.
Os ministros recomendaram para que seja publicado o Livro 15 anos da Governação Electrónica da CPLP e isto tem que ser trabalhado ao nível dos vários países que integram a organização.
Segundo Olavo Correia, com esta publicação, a história dos últimos 15 anos da governação electrónica ao nível da CPLP será registada e, assim, possa ser partilhada não só entre os governos dos países membros, mas também a nível internacional.
O encontro decorreu sob o lema “alavancando a governação pública e liderando soluções inovadoras para abordar a pandemia covid-19”, em formato virtual.
A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi criada em 17 de Julho de 1996, em Lisboa, e é constituída por nove Estados-Membros (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).
A CPLP tem como objectivo a concertação político-diplomática e a cooperação em todas as suas formas e a promoção e defesa da Língua Portuguesa, através de um intenso diálogo cultural.

Dans la même catégorie