NAN D’Tigers move 10 places up in FIBA world rankings NAN World Athletics Championships: 25 athletes to represent Nigeria NAN FIFA Ranking: Nigeria drop by one spot, now 34th ANGOP L’UGD enregistre une baisse dans l’émission des titres à 25,92 pour cent ANGOP L’Angola et les Etats-Unis vivent un bon moment dans les relations ANGOP Le PR aborde des questions d’intérêt bilatéral avec ses homologues AIB Radio Burkina : 22,2% d’auditeurs insatisfaits de la couverture du Tour du Faso (mémoire) ANGOP DRC refugees repatriation postponed sine die AIB Burkina : 96 écoles occupées, 9514 élèves parmi les déplacés dans 3 régions (Ministre) ANGOP CASA-CE hails Government economic measures

Dia Mundial do Livro: Jovens garantem que há espaço para livro físico e digital


  23 Avril      15        Société (13164),

   

Cidade da praia 23 Abr (Inforpress) – Apesar de as tecnologias estarem a assombrar as livrarias, os jovens garantem que há espaços para todos porque há algumas pessoas que preferem comprar o livro físico para que possam ter o prazer de sentir o seu cheiro.
No dia Mundial do Livro e dos Autoresm a Inforpress conversou com alguns jovens da Cidade da Praia que afirmaram que, hoje em dia, é mais fácil ter acesso aos livros através da internet ou através dos clubes da leitura onde trocam livros entre si.
Esses mesmos jovens afirmam que mesmo que muita das vezes preferem estar em contacto com um livro, por falta de recursos, são obrigados a recorrer aos sites que disponibilizam os livros gratuitos ou então pedem por empréstimo a um amigo.
Entretanto, alguns com mais condições financeiras dizem que optam por adquirir um livro no seu formato tradicional para que possam ter o prazer de folhear as várias páginas, tocar e explorar o que o livro tem para lhes oferecer.
Apesar da oferta digital, o diretor-geral da Livraria Pedro Cardoso, João Spencer, disse, em declarações à Inforpress, que a afluência à livraria tem sido positiva e que ano após ano este tem estado a melhorar o seu desempenho, quer em venda, quer na edição de livros.
Contudo, a mesma fonte vai na mesma linha desses jovens e diz acreditar que muitas pessoas não lêem ou compram livros por razões económicas, ou seja, a falta de recursos é um dos factores que tem contributo para o não acesso ao livro por partes dos cabo-verdianos.

Dans la même catégorie