APS UNE FEMME DE 58 ANS EST DÉCÉDÉE DU COVID-19 CE LUNDI (MINISTÈRE) APS L’AFRIQUE REVÊT UNE IMPORTANCE PARTICULIÈRE POUR CUBA (DIPLOMATE) ANP Les Ministres des Affaires Etrangères du G5 Sahel appellent à une opérationnalisation effective et rapide des 3000 militaires de l’UA ANP Le Ministre Kalla Ankourao rend un vibrant hommage aux pères fondateurs de l’organisation panafricaine ANP Le Ministre Kalla Ankourao rend un vibrant hommage aux pères fondateurs de l’organisation panafricaine ANP Les Ministres des Affaires Etrangères du G5 Sahel appellent à une opérationnalisation effective et rapide des 3000 militaires de l’UA INFORPRESS Covid-19/Praia: SNPCB faz balanço “positivo” de uma semana de desinfecção dos bairros INFORPRESS São Vicente: JPAI denuncia situação de mais de 30 estudantes em dificuldades e pede ao Governo que tome medidas Inforpress Lei que estabelece condições para aulas à distância na formação profissional deve sair em Julho – responsável ANGOP Covid-19: Angola com mais um caso positivo

Grupo Santy Comercial vai reconstruir a Cicer


  8 Novembre      5        Businesses (191), Economy (7596),

   

Bissau,07 Nov 18 (ANG) – O grupo espanhol Santy Comercial vai investir 25 milhões de euros na reconstrução da CICER, única cervejeira da Guiné-Bissau, mas inactiva desde a década de 1990, que adquiriu em 2016, anunciou terça-feira o administrador do grupo, Santiago Hanna.

O grupo espanhol pretende recuperar a CICER, voltar a produzir a própria cerveja, o Djumbai, para os mercados guineenses e de países vizinhos, disse Hanna, que referiu que as obras da recuperação da cervejeira arrancaram na semana passada.

Além da cerveja Djumbai – a única marca guineense – a CICER passará a produzir água, refrigerantes e sumos, afirmou ainda Santiago Hanna.

O administrador da Santy notou igualmente que o seu grupo já investiu na Guiné-Bissau cerca de 160 milhões de euros, nomeadamente na construção do « único hotel verdadeiramente cinco estrelas » (o Ceiba hotel), uma fábrica da transformação da amêndoa do caju, sendo a única certificada para exportar o produto para Europa e Estados Unidos da América.

O grupo, que está na Guiné-Bissau há quatro anos, também possui uma pedreira, assinalou Santiago Hanna, que quer ajudar no desenvolvimento do país africano.

No total, a Santy dá emprego direto a cerca de 600 pessoas, disse.

« O grupo não vai desistir da Guiné-Bissau, porque quer ajudar a desenvolver » o país, disse o administrador, quando procedia ao balanço do primeiro fórum de negócios entre empresários guineenses e espanhóis, organizado entre 01 a 03 deste mês, em Bissau, sob o patrocínio da Santy.

Segundo Santiago Hanna, várias empresas espanholas querem apostar no mercado da Guiné-Bissau, que consideram o « último segredo do Atlântico », nos setores do turismo, energia, indústria, entre outras áreas. ANG/Lusa

Dans la même catégorie