AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Grâce à la CMU 1,4 million de personnes ont accès pour la première fois aux prestations sociales AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Lancement à Bondoukou des activités des enfants de la Croix rouge GNA NPP parliamentary aspirant for Okere threatens court action GNA Ghana empathises with China over deadly Coronavirus outbreak AIP Gon Coulibaly réaffirme l’engagement du gouvernement à agir sur les prix des produits de première nécessité pour le bien-être des populations AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le tourisme, un des secteurs économiques à la croissance la plus rapide du monde (Duncan) ATOP LES RESULTATS DES EXPERIMENTATIONS DES CEA-CLA PARTAGES AVEC DES AGRICULTEURS DES PLATEAUX ATOP LE LYCEE D’ADIDOGOME II REPRESENTERA L’INSPECTION LOME-COMMUNE A LA PHASE REGIONALE ATOP DES « DENTISTES SANS FRONTIERE » EN MISSION FORAINE BUCCO-DENTAIRE A TSEVIE ATOP DES PRIX ET ATTESTATIONS DECERNES AUX LAUREATES DES FACULTES SCIENTIFIQUES

« Falta de estratégia e deficiência de gestão dos recursos motivaram declínio da empresa », diz o Director-geral


  3 Décembre      9        Human Development (142),

   

Bissau, 03 Dez 18 (ANG) – O Presidente e Director-geral dos Correios da Guiné-Bissau indicou a falta de visão estratégica e de acompanhamento da evolução do sector a nível global e a gestão deficiente dos recursos humanos, matérias e financeiras como motivo do estado actual em que a empresa se encontra.
Fernando Joaquim Ferreira de Lacerda que falava em entrevista exclusiva à Agência de Notícias da Guiné (ANG), sobre a situação de paralisia, quase total, em que os Correios se encontram actualmente, disse que o descalabro da instituição teve várias origens, entre as quais, o conformismo com o monopólio postal pela legislação do sector, que considera arcaico e desajustada à realidade de hoje, e desorganização total das rotinas de trabalho, no âmbito administrativo, comercial e operacional.

Para além disso, Fernando de Lacerda responsabilizou ainda o sistema implantado no país, de « deixa fazer » pela situação, que disse ter levado a maior parte dos concidadãos a « cometerem atropelos às normas e leis » que regem os trabalhos que executam, pensando que elas lhes impede de realizar as suas expectativas pessoais.

Por isso, segundo Ferreira de Lacerda, o papel da actual administração dos Correios passa pela promoção e criação de um bom clima social na empresa, estabelecimento de normas precisas de gestão e procedimentos administrativos, elaboração de manuais de operações, aposta na valorização e desenvolvimento dos recursos humanos, e utilização, de forma sistemática, das tecnologias de informação e comunicação em todas as áreas de actuação.
Instado a falar das dificuldades para o relançamento efectivo dos Correios, Ferreira de Lacerda começou por explicar as transformações que ocorrem em diversos domínios na economia mundial, resultado da forte competitividade e o rápido desenvolvimento tecnológico, fenómeno que disse atingir o sector postal.

« No início, o serviço postal consistia apenas na obrigação do Estado em fornecer os serviços básicos à população e, para garantir a qualidade de serviço postal universal, era concedido monopólio aos operadores estatais.Mas, actualmente, o contexto mundial é diferente e as sociedades já não aceitam o monopólio do Estado e os operadores públicos tem que competir no mercado com os privados « , informou Fernando Joaquim Ferreira.

Acrescenta que na Guiné-Bissau, o monopólio também começou a ser restringido até que se despareça, por isso devem ser adoptadas regras claras que levam ao progresso do sector privado no mercado postal.

Lacerda disse que a dificuldade de relançamento dos Correios também tem a ver com o pouco conhecimento e de sensibilidade do público em geral e dos decisores, em particular sobre o potencial dos Correios na contribuição para a coesão social e para desenvolvimento económico do país, a inexistência de um quadro legal e regulamentar actualizado do sector postal e a falta de uma injecção de capital para o funcionamento regular dos serviços, permitindo que a empresa usa o seu potencial de gestor de valores para economia nacional.

Assegurou que o relançamento dos Correios depende da conclusão das obras de reabilitação do edifício central de Bissau, dos edifícios e equipamentos das estações postais do interior do país, da abertura da loja de filatelia e coleccionismo , bem como a criação das condições para prestação dos serviços financeiros postais.

Dans la même catégorie