ACP Le ministre des Affaires sociales s’imprègne du fonctionnement du FNPSS en RDC ACP Une nouvelle attaque rebelle fait 12 morts à Djudju ACP Le regroupement politique AA/a Kutu soutient les actions diplomatiques du Chef de l’Etat ACP Le Président Félix Tshisekedi promet un meilleur partenariat aux hommes d’affaires wallons GNA Treat books as friends not enemies-Pupils told GNA NORSAAC trains stakeholders on revenue mobilisation GNA George Afriyie counts on support of clubs to succeed AIP Présentation officielle de la mutuelle autonome des enseignants ANGOP Marrocos apresenta-se com vila artística na Bienal ANG Falta de ação contra aquecimento global pode custar 20 bilhões de dólares por ano em ajuda humanitária

Ex-Diretor-geral apela ao governo para dar mais atenção ao órgão


  19 Août      0        Society (11288),

   

Bissau, 19 Ago 19 (ANG) – O Ex-Diretor-geral da Agência de Notícias da Guiné (ANG), apelou hoje ao governo para dar mais atenção a este órgão, que na terça-feira assinala 44 anos de sua criação.

Em entrevista exclusiva à Agência de Notícias da Guiné (ANG), João Quintino Teixeira disse que o problema que afecta a ANG não é novidade para aqueles que lidaram com o referido órgão ao longo dos anos.

“Os sucessivos governantes nunca priorizaram a ANG como órgão responsável para a produção de notícias para outros órgãos. Durante o tempo em que fui nomeado para dirigir aquele órgão, a minha maior preocupação era fazer aos governantes entenderem qual o papel e a importância de uma agência de noticias”, revelou.

João Quintino Teixeira acrescentou que a ANG precisa de trabalhar com os correspondentes regionais, como forma de manter o país inteiro informado dos acontecimentos que lá ocorrem.

“Antes e depois da minha ida para a ANG, esse órgão já tinha correspondentes espalhados em algumas regiões do país, e com a minha chegada tentamos dinamizar o trabalho de correspondentes mas, até um certo ponto, a falta de apoio do governo não permitiu que a ANG assegurasse a permanência dos seus correspondentes nas regiões, que desempenhavam um papel extremamente fundamental para a ANG e cobertura regional”, afirmou João Quintino.

Referiu que a ANG produzia um Boletim Informativo que fornecia as embaixadas e entidades oficiais, algo que considerou importante para arrecadação de alguns fundos internos .

João Quintino Teixeira sustentou que para que este órgão funcione bem e desempenhe melhor a sua missão, deve ser equipado conforme as suas necessidades , e melhoradas as condições de trabalho aos seus jornalistas e técnicos.

João Quintino Teixeira foi director-geral da ANG em 1993.
A ANG foi criada a 20 de agosto de 1975 com a missão de promover a imagem da Guiné-Bissau no exterior.

Segundo Lucete Djawara, a primeira Directora-geral da ANG, “o então governo teve a necessidade de promover a imagem de que a Guiné-Bissau, saída de uma guerra de 11 anos, estava então a lutar pelo desenvolvimento em condições frágeis pelo que nessiatava de apoio dos parceiros internacionais”.

Ex-Diretor-geral apela ao governo para dar mais atenção ao órgão


  19 Août      0        Society (11288),

   

Bissau, 19 Ago 19 (ANG) – O Ex-Diretor-geral da Agência de Notícias da Guiné (ANG), apelou hoje ao governo para dar mais atenção a este órgão, que na terça-feira assinala 44 anos de sua criação.

Em entrevista exclusiva à Agência de Notícias da Guiné (ANG), João Quintino Teixeira disse que o problema que afecta a ANG não é novidade para aqueles que lidaram com o referido órgão ao longo dos anos.

“Os sucessivos governantes nunca priorizaram a ANG como órgão responsável para a produção de notícias para outros órgãos. Durante o tempo em que fui nomeado para dirigir aquele órgão, a minha maior preocupação era fazer aos governantes entenderem qual o papel e a importância de uma agência de noticias”, revelou.

João Quintino Teixeira acrescentou que a ANG precisa de trabalhar com os correspondentes regionais, como forma de manter o país inteiro informado dos acontecimentos que lá ocorrem.

“Antes e depois da minha ida para a ANG, esse órgão já tinha correspondentes espalhados em algumas regiões do país, e com a minha chegada tentamos dinamizar o trabalho de correspondentes mas, até um certo ponto, a falta de apoio do governo não permitiu que a ANG assegurasse a permanência dos seus correspondentes nas regiões, que desempenhavam um papel extremamente fundamental para a ANG e cobertura regional”, afirmou João Quintino.

Referiu que a ANG produzia um Boletim Informativo que fornecia as embaixadas e entidades oficiais, algo que considerou importante para arrecadação de alguns fundos internos .

João Quintino Teixeira sustentou que para que este órgão funcione bem e desempenhe melhor a sua missão, deve ser equipado conforme as suas necessidades , e melhoradas as condições de trabalho aos seus jornalistas e técnicos.

João Quintino Teixeira foi director-geral da ANG em 1993.
A ANG foi criada a 20 de agosto de 1975 com a missão de promover a imagem da Guiné-Bissau no exterior.

Segundo Lucete Djawara, a primeira Directora-geral da ANG, “o então governo teve a necessidade de promover a imagem de que a Guiné-Bissau, saída de uma guerra de 11 anos, estava então a lutar pelo desenvolvimento em condições frágeis pelo que nessiatava de apoio dos parceiros internacionais”.

Dans la même catégorie