Inforpress ICIEG lamenta morte de jovem assassinada em Santa Cruz e apela celeridade na actuação em casos de denúncia Inforpress Governo de Cabo Verde manifesta pesar pela morte do Secretário Geral da CONFEJES Inforpress Covid-19: Ministério da Saúde lança campanha de doação de leite materno domiciliar Inforpress CMP inaugura penúltima fase de requalificação da parte histórica do Platô orçada em 47 mil contos APS DISCOURS ATTENDU DE MACKY SALL AU « RASSEMBLEMENT D’ESPOIR » DE LA FPU GNA WR Peace Council condemns violence during voter registration exercise GNA Ghana: Lands Minister poised to reclaim state lands from encroachers GNA Two foreigners jailed for acquiring Ghana Voter card GNA Assembly Member donates to Lawui and Logote communities GNA CHAG Director commends Akatsi South EC and registrants

Orçamento do Estado: 10% são transferidos directamente para as famílias cabo-verdianas ministro das Finanças


  22 Novembre      1        Economy (8297),

   

Cidade da Praia, 22 Nov (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças afirmou hoje que 10% do Orçamento de Estado, cerca de 7.4 milhões de contos, são transferidos directamente para as famílias cabo-verdianas com encargos para a saúde, pensões e bolsas de estudos.
A confirmação foi feita por Olavo Correia e Silva, esta manhã, durante a sua intervenção na cerimónia de abertura do ateliê de formação sobre “Capacitação das instituições públicas nacionais sobre planeamento e implementação de políticas numa abordagem baseada nos direitos humanos”, que decorre na Praia nos dias 21 e 22 de Novembro.
Segundo disse o governante, dos 73 milhões de contos, do Orçamento de Estado, 7.4 milhões são dedicados, exclusivamente, aos cidadãos com encargos para a saúde, abono familiar, pensões, benefícios sociais diversos, planeamento social de inclusão, transferência para ONG e bolsas de estudos.
“Cabo Verde tem estado a fazer um esforço enorme em relação a promoção da pessoa. Investimos hoje no OE 73 milhões de contos anual de despesas globais, dos quais 50% vão directamente para promoção da pessoa, da educação, saúde, segurança, cidadania, mas também na promoção da água e desenvolvimento territorial”, assegurou o governante que disse que poucos Estados a nível mundial fazem isso.
Entretanto, apesar de ter reconhecido que o país tem feito progresso extraordinário, destacou que o arquipélago enfrenta ainda muitos desafios pela frente, lembrando que cerca de 170 mil pessoas vivem na pobreza e em dificuldades extrema, situação essa que exige do Governo investimentos a nível da educação, formação profissional e fazer com que qualquer jovem ou criança tenha acesso a estes serviços.
Olavo Correia acrescentou que o Governo tem também um conjunto de programas que visam promover os direitos humanos, nomeadamente emprego digno, acesso à educação, saúde, segurança, mas também a liberdade individual que, disse, são fundamentais para ter pessoas livres e inovares.
No seu ponto de vista, a economia e os direitos humanos são dois conceitos que mais têm contribuindo para o progresso humano.
“Há aqui uma dimensão económica dos direitos humanos, mas também há uma dimensão dos direitos humanos na economia”, afirmou o ministro que considerou que no centro de qualquer política pública “esta e tem de estar a pessoa humana”.
Por seu turno, a presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC), Zaida Morais de Freitas, explicou que a ideia é fazer com que todo o processo de planeamento, orçamentação e de elaboração de políticas públicas tenha como pilar e foco principal os direitos humanos e as pessoas humanas e os seus direitos.
No geral, prosseguiu, as políticas estão relacionadas com a realização das necessidades do país, mas sublinhou que o governo quer estejam focadas nos direitos, ou seja, que toda a programação e implementação partam do princípio e tenham sempre presente as regras, normas e princípios dos tratados internacionais dos quais Cabo Verde faz parte.
A cerimónia de abertura foi presidida pelo gestor interino do Escritório Conjunto do PNUD, UNFPA e UNICEF de Cabo Verde, Boubou Camara, que assegurou que vão continuar a apoiar o país na sua caminhada de desenvolvimento, particularmente na promoção e protecção dos direitos humanos.
O ateliê de formação é promovido pela Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC), em parceria com o Escritório Conjunto do PNUD, UNFPA e UNICEF de Cabo Verde.
AV/JMV

Dans la même catégorie