GNA MTN FA Cup: Hearts cruise into Round of 32, Kotoko stunned GNA Let’s own 2020 Population and Housing Census GNA ‘Avoid electioneering violence’- Kwahumanhene to the youth GNA African youth optimistic about the Continent’s future – survey GNA Results of MTN FA Cup matches played over the weekend GNA GJA President cautions journalists against false information GNA NBSSI and Cocoa Life empowers youth in cocoa communities GNA Public urged to report unprofessional acts of health staff MAP Le rôle clé du Maroc en Afrique mis en avant sur la chaîne sud-africaine Enca News MAP Le rôle clé du Maroc en Afrique mis en avant sur la chaîne sud-africaine Enca News

Brava/Carnaval: Grupo Mocidade diz brincar o Carnaval por “gosto” e para incentivar outras zonas


  27 Janvier      2        Society (12979),

   

Praia, 27 Jan (Inforpress) – A dirigente do grupo Mocidade, Raquel Rodrigues, afirmou que o que leva o grupo a brincar o Carnaval é o “gosto e a paixão” e também uma forma de incentivar outras zonas que anteriormente participavam e agora não.
Raquel Rodrigues fez estas declarações à Inforpress, anunciando que já iniciaram os ensaios como forma de controlar o número de foliões e que a partir da semana que se inicia vão começar a ensaiar com as músicas próprias do desfile.
E, à semelhança do grupo Baianas, informou que já têm o tema decidido, um orçamento para o andor, mas que não vão adiantar ainda.
Sobre o número de foliões disse ainda não ter um número certo, mas que na altura da inscrição a câmara municipal exigiu no mínimo 50, número este que pretendem ultrapassar como tem acontecido nos outros anos.
A confecção dos trajes ainda não se iniciou porque estão a aguardar os tecidos e outros materiais chegarem da cidade da Praia, realçando que na Brava não encontram nada.
No quesito das dificuldades, assim como no ano anterior, apontou a aquisição de materiais como sendo a primeira, acoplada da falta de fundos que, segundo a mesma é um outro “calcanhar de Aquiles” na organização e realização do Carnaval.
No ano anterior, relembrou que o grupo tinha algum fundo e iniciaram os trabalhos com uma certa antecedência, mas este ano, como não tem, disse que estão a aguardar o subsídio de 40 mil escudos atribuído pela câmara municipal.
Mas, realçou que o grupo não vai desistir mesmo ante a dificuldades, pois participam devido a “paixão e o gosto” que nutrem pelo Entrudo, mas “sobretudo” porque vêm esta participação como uma forma de incentivar grupos de outras zonas a participarem, como o caso de Nossa Senhora do Monte.

Dans la même catégorie