Inforpress Covid-19: Nações Unidas em Cabo Verde promovem campanha solidária para mobilizar fundo em resposta à pandemia Inforpress Covid-19: Igreja do Nazareno pede alvorada no Dia da Páscoa com cabo-verdianos orando das janelas e terraços Inforpress Covid-19: Rede de Psicólogos Voluntários de Cabo Verde apresentada na Praia Inforpress Covid-19: Voo sanitário com seis toneladas de medicamentos e equipamentos deve chegar quinta-feira ao País Inforpress Covid-19/São Vicente: PAICV propõe activação dos zeladores municipais para apoiar nas ajudas aos mais carenciados Inforpress Museus sob a gestão do IPC passam a ser visitados através de plataformas virtuais Inforpress Covid-19/Boa Vista: Rabil recebe campanha de desinfecção e de sensibilização  Inforpress Maio: Francisca Neves, a parteira que se dedicou à prática com “espírito de missão” ANP Crise sanitaire de COVID 19 : la Turquie plaide pour une réponse mondiale face à un défi mondial (Ministre) ABP Le port systématique de masque de protection exigé aux populations du Plateau dès ce Mercredi

Abertas até 1 de Março as candidaturas para financiamento de projectos pela Fundação Tony Elumelu – responsável


  12 Février      3        Human Development (142),

   

A representante da Fundação Tony Elumelu em Cabo Verde avançou esta terça-feira à Inforpress que estão abertas, até 1 de Março, as candidaturas para o financiamento de projectos pela fundação para o ano de 2020.

Segundo Luana Jardim, que falava à margem de uma sessão de esclarecimentos sobre a fundação no auditório da Universidade do Mindelo, desde que a fundação iniciou os financiamentos, em 2015, já apoiou 19 projectos cabo-verdianos. Mas, a ideia é divulgar a fundação o máximo para que mais candidaturas de Cabo Verde sejam beneficiadas.

“A candidatura de cabo-verdianos está em crescimento. É por isso que estamos a fazer esta sessão de esclarecimento e divulgação de Tony Elumelu Foudation (TEF) para que cada vez mais possamos ter mais cabo-verdianos e jovens seleccionados no programa”, realçou a mesma fonte, que afirmou que já fizeram sessões de esclarecimento no Sal e vão fazer na Praia e em Santo Antão.

O objectivo é divulgar a fundação e a mudança de critérios de candidaturas ao financiamento neste ano. Isto porque, conforme a responsável, que foi uma das contempladas pela fundação em 2019, antes a selecção de um projecto já dava garantia de financiamento, mas, em 2020, o processo será desenvolvido por etapas.

“Em 2020 os candidatos fazem a aplicação e automaticamente terão a resposta se foram ou não seleccionados para passar para a próxima etapa. Depois, receber uma semana de formação e realizar tarefas e receberão ainda orientações específicas para fazer o plano de negócio”, explicou a empreendedora.

No mês de Junho, prosseguiu, começa a próxima etapa na qual fazem as candidaturas para o financiamento dos cinco mil dólares. No terceiro trimestre de 2020 sairá a resposta dos seleccionados para receber os cinco mil dólares.

A partir dessa etapa, segundo Luana Jardim, o candidato deve cumprir as diligências emanadas pela fundação, que é a criação de uma empresa, a abertura de uma conta bancária, enviar os documentos reconhecidos pelo cartório e o termo de compromisso de que o dinheiro vai ser aplicado naquilo a que foi destinado.

A Fundação Tony Elumelu foi criada em 2010 através de iniciativa do filantropo nigeriano Tony Elumelu. Em 2015 começou o programa de candidaturas com o objectivo de, num período de 10 anos financiar, 10 mil empreendedores africanos com doação de 100 milhões de dólares para criar mil postos de trabalho, contribuir para gerar dez bilhões de receitas anuais e dinamizar a economia Africana.

“Eu acredito que a estratégia dos 10 mil empreendedores que Tony Elumelu traçou pode vir a ser superada e teremos mais beneficiados, tendo em conta que ele está a mobilizar parceiros para financiar jovens, arrematou Luana Jardim.

Inicialmente era somente a fundação de Tony Elumelu que dava os financiamentos, mas, desde 2019 o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o PUND e a Agência Japonesa entraram como parceiros.

Desde a sua criação a fundação beneficiou 7.531 empreendedores, 19 dos quais cabo-verdianos. No ano passado houve 216 mil candidaturas dos 54 países africanos e, desses, sete cabo-verdianos foram seleccionados, sendo uma pela fundação e seis pelos parceiros que entraram em 2019.

Dans la même catégorie