GNA Africa must drive Agenda 2063 through human resource development GNA Central Region to get Cargo Airport GNA CrownCity technologies is lSO/IEC 27001:2013 & PCI DSS Version 3.2.1 certified GNA Schools in Tema yet to receive JHS Two textbooks – GNAT GNA Regulate the usage of ‘second-hand’ LPG cylinders – Otu Larbi GNA Fire sweeps through over 15 shops, houses at Tema Community Two GNA Ghanaians should condemn hate speech within media space GNA PAC bemoans practice by some state institutions to falsify, backdate receipt GNA 37 Military Hospital opens new 300-bed quarters for young soldiers

Santo Antão: MAA tem “aval” da Enapor para deslocalizar centro de expurgo para o porto


  19 Août      33        Agriculture (68),

   

Porto Novo, 19 Ago (Inforpress) – O Ministério da Agricultura e Ambiente  (MAA) já recebeu o “aval” da Empresa Nacional da Administração dos Portos para deslocalizar o centro de expurgo de Santo Antão para as instalações do porto, do Porto Novo.

A garantia é do delegado do MAA no Porto Novo, Joel Barros, que adiantou que já estão em curso os preparativos para transferir o centro de expurgo para o cais do Porto Novo “para melhor poder servir os operadores”.

O centro pós-colheita de Santo Antão fica situado nos arredores da cidade do Porto Novo, numa zona afastada do porto, facto que, segundo os agricultores, cria “vários constrangimentos”, nomeadamente em termos de custos do serviço, que é prestado.

O MAA reconhece que este centro tem “muitas vulnerabilidades” desde logo, a sua má localização, facto que cria muitas dificuldades aos produtores agrícolas, que preferem não utilizar este espaço, actualmente sub-aproveitado.

Esta infra-estrutura, que representou um investimento de 120 mil contos (construção e equipamento), foi construída no quadro do primeiro compact do programa Millenium Challange Account (MCA) para contornar o problema do embargo imposto aos produtos agrícolas de Santo Antão, por causa da praga dos mil-pés.

Mas, segundo alguns produtores agrícolas, tratou-se de “um investimento praticamente perdido”, já que, por causa da sua “má localização”, tem sido pouco aproveitado.

Dans la même catégorie