APS La cohésion sociale et la stabilité ont été préservées (Mamadou Talla) APS Fatick : incinération de faux médicaments et du chanvre indien APS L’accompagnement des jeunes au menu de la 43ème assemblée du clergé APS Fatick : de la drogue et d’autres produits illicites parfois saisis sur des véhicules administratifs et agents de l’etat (cheffe) APS le G7 réaffirme son engagement et sa disponibilité en faveur d’un dialogue social de qualité APS Négociations avec les enseignants : Mamadou Talla s’engage à respecter « ses’’ engagements AGP Boké : le Consortium SMB-Winning indemnise 102 personnes à plus de 8 milliards GNF AGP Conakry/Vers les élections législatives 2019 : les acteurs du comité inter-parties (CIP) en conclave GNA Safe Delivery App introduced to reduce maternal mortality GNA Invest in Africa, CIPS to enhance Procurement Skills of 50 SMEs

Governo nega qualquer interferência para beneficiar ou prejudicar concorrentes no concurso de transportes marítimos inter-ilhas


  23 Juillet      9        Economie (6489), Finance (387),

   

Cidade da Praia, 23 Jul (Inforpress) – O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças garantiu esta segunda-feira que o Governo não teve qualquer interferência para eliminar ou beneficiar concorrentes no processo do concurso de transportes marítimos inter-ilhas, apontando ser “má fé” qualquer posição neste sentido.
Olavo Correia deu esta garantia durante a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o processo de concessão do serviço público de transportes marítimos inter-ilhas. Conforme explicou, “não houve nenhum acto” do Executivo que levantasse dúvidas quanto à sua interferência neste processo de concurso.
Segundo o governante, as pessoas que intervieram no concurso, através da Agência Reguladora de Aquisição Publica (ARAP), “foram todas nomeadas” pelo anterior Governo, mesmo tendo o actual Executivo poderes para o efeito. Nesta linha, disse também que a Comissão de Gestão de Conflito foi nomeada pelo Conselho de Administração da ARAP, conforme estipula a lei.
“A Comissão de Gestão de Conflitos é um órgão colegial, com três membros e a decisão que prevalece é do órgão”, avançou, clarificando que esta comissão interveio em todas as fases do processo desse concurso, por isso respeita “a decisão do órgão”.
HR/JMV

Dans la même catégorie