GNA 31st edition of 2nd cycle Inter-regional sports festival kick starts GNA Teenage Pregnancy drops in Adaklu District GNA Youth urged to take education, skills training serious GNA Religious bodies must preach against corruption – Most Rev. Boafo GNA 16 communities in Krachi East connected to the national grid GNA G5 Sahel heads of State supports ‘Desert to Power’ initiative GNA « Help secure donated lands against future compensation claims, » – chiefs told GNA Some suspected cocaine and dollars intercepted by Aflao Customs Division GNA Parliamentary select committees disappointed at land fill site management GNA Lawra Municipal Assembly continues to witness decline in revenue

“Morna é acessível e está em todos os quadrantes da vida social” – ministro da Cultura


  24 Mai      9        Arts & Cultures (694), Culture (387),

   

Cidade da Praia, 24 Mai (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Industrias Criativas, Abraão Vicente, disse esta quinta-feira que a morna é acessível, marcando presença em todos os quadrantes da vida social, sem estar sob o monopólio de uma determinada franja.

O governante falava à imprensa momentos antes da abertura da conferência “Morna di nôs tudu” (Morna é de todos nós) organizada pelo Instituto do Património Cultural (IPC) e parceiros, no quadro da Agenda Morna 2019 – rumo a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

“O processo de candidatura demonstra que a morna é acessível, está em todos os quadrantes da vida social e não tem o monopólio de uma determina franja, nem de ricos, nem de pobres, nem nenhuma classe”, disse.

Ao falar de pessoas que portam algum tipo de deficiência, Abraão Vicente mencionou a necessidade de inclusão, também a partir do dossiê de candidatura, mas, sobretudo, sintetizou, fazer com haja o acesso e o engajamento.

Segundo o titular da pasta da Cultura, é preciso dar um “sinal claro” à sociedade civil que se está atento a todas as franjas e que se quer promover “num sentido mais amplo possível”, não só a candidatura, mas a própria difusão da morna.

“Isto também vem em consequência da aprovação da adesão de Cabo Verde ao tratado de Marquês, que permitirá às pessoas com deficiência audiovisuais e visuais a possibilidade de terem acesso a outro tipo de material, nomeadamente, áudio e livro que significará também acesso ao conhecimento e maior inclusão”, acrescentou.

Dans la même catégorie