AGP Guinée-Sénégal CAN 2021 : Kaba Diawara satisfait et promet de se remettre au travail pour les prochains matchs AGP Conakry/Société : Des kits socioprofessionnels pour 19 enfants en situation de vulnérabilité AGP Kankan-Justice : Passation entre les procureurs entrant et sortant au tribunal de 1ère instance AGP Guinée : Les opérateurs économiques reçus par le président de la transition GNA Nestlé Ghana recalls dairy products temporarily GNA Ecotoursim contributes $1.2 billion to GDP in 2020 GNA Venture Capital Trust Fund invest in more than 60 companies GNA Reinstate GN Bank’s license-PPP appeals to President Akufo-Addo AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Les acteurs de la société civile appelés à jouer leur rôle d’éclaireur de la population AIP Côte d’Ivoire-AIP/ La pisciculture et ses infrastructures expliquées aux élèves de Tiébissou et de Didiévi

Bissau acolhe Fórum sub-regional juvenil em 2022


  29 Novembre      25        Société (37749),

   

Bissau, 29 nov 21 (ANG) – A Guiné-Bissau acolhe no próximo ano, o Fórum sub-regional da Juventude sobre a Participação Política, Desenvolvimento Sustentável e Dividendo Demográfico.

A propósito, o Fórum Nacional da Juventude e População realizou cinco sessões de pré-conferências nacionais para reforçar as capacidades dos jovens em termos de conhecimento sobre temas que serão objectos de discussão e abordagem no referido Fórum, à decorrer em Bissau, no primeiro trimestre de 2022.

Nessas sessões, os participantes debateram temas ligados a problemática de casamento precoce e Violência Baseado no género e os seus contornos na saúde, educação e emancipação social dos jovens raparigas e adolescentes, o papel da sociedade no seu combate.

A mutilação Genital Feminina e suas consequências na saúde sexual reprodutiva, o planeamento Familiar e métodos contraccetivos – as suas vantagens na promoção de saúde sexual reprodutiva,(prevenção da gravidez precoce/ indesejada e VIH/ SIDA), foram outros temas destacadas no evento.

A quinta e última sessão de pré-conferência nacionais, que juntou 25 delegados adolescentes e jovens do Sector Autónomo de Bissau, Bolama e sector de Bubaque, que decorreu este fim de semana em Bissau, sob o lema: “ Dar a voz à Juventude”, com apoio financeiro e técnico do Fundo das Nações Unidas para População (UNFPA).

Ao presidir a abertura dos trabalhos, em representação da UNFPA na Guiné-Bissau, Ana Leonie Lopes exortou os jovens para aproveitarem a oportunidade para debater e refletir sobre os principais problemas que os afectam , trocar experiências e ideias para, em conjunto, estabelecer estratégias que permitem chegar à soluções sustentáveis.

Ana Lopes salientou que lidar com situações dos jovens é primordial para alcançar um desenvolvimento sustentável e de longo prazo, graças ao papel critico que desempenham no desenvolvimento social e economico.

Acrescentou que o bem estar dos jovens requer a elaboração de politicas e programas que levam em consideração todo o seu percurso de vida, o contexto da sua vivência e o respeito, proteção promoção dos seus direitos.

Ana Leonie Lopes disse que na Guiné-Bissau os jovens enfrentam uma série de desafios com impacto adversos, tais como altas taxas de casamento infantil, de natalidade em adolesentes, de gravidez precoce,, saúde debilitada incluindo a saúde sexual reprodutiva, aumento de gravidez indesejadas e falta de oportunidade de formação .

Reiterou a vontade de trabalhar para criar um ambiente em que os jovens sintam confiante e esperançados de que são capazes de ter o controlo do seu futuro.

O Secretário Executivo do Fórum Nacional da Juventude e População FNJP Baite Badjana disse ter se percebido, ao longo dos quatro pré-conferências realizadas na regiões da Bafatá, sector de Buba, região de Quinará, Mansoa, região de Oio e Canchungo, região de Cacheu, que os jovens continuam a ter dificuldades relativamente às informações que lhes garantam uma vida sexual responsavel.

Acrescentou que mesmo que alguns tenham conhecimento da existência de uma estrutura sanitária onde podem receber informações que lhes orientam para terem uma vida sexual responsável não conseguem devido a distância que há entre as comunidades e os centros de saúde.

“Toda essa situação não contribui para uma boa saúde sexual reprodutiva, para promoção do direito à saúde sexual dos jovens e muito menos na redução de casamento precoce, com maior incidência nas regiões de Quinará e Tombali”, disse o Secretário do FNJP.

Baite Badjana pediu mais abordagens sobre essas questões, por serem assuntos ligados a cultura,portanto, difíceis de abolir.

Dans la même catégorie