MAP L’ambassadeur de SM le Roi au Caire présente ses lettres de créance au Président égyptien MAP Kenya: huit corps retrouvés dans une décharge à Nairobi (nouveau bilan) APS AG de la FSF : le comité exécutif va proposer la date du 21 septembre (président) ANP Les leaders Arabes d’Agadez et Tahoua reçus par le Président du CNSP APS Acteurs politiques, société civile et universitaires planchent sur l’intégrité du système électoral APS Zone des Niayes : des producteurs listent les défis et proposent des solutions APS Le président Faye aborde les urgences sociales, la fiscalité, l’emploi, ses rapports avec le Premier ministre, etc APS AVC: un neurologue alerte sur les cas d’hospitalisations de sujets de plus en plus jeunes AIP La lutte contre la déforestation devrait s’inscrire dans un cadre de coopération sud-sud (Le président CESEC) MAP Niger : 22 terroristes « neutralisés » par l’armée dans l’ouest

Cabo Verde prepara projectos para aceder ao Fundo Verde para o Clima


  17 Mars      31        Environnement/Eaux/Forêts (6756),

 

Cidade da Praia, 17 Mar (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde, em parceria com a UNIDO, lançou hoje um programa de preparação de projectos na área do turismo para aceder ao Fundo Verde para o Clima que pode ascender até 40 milhões de euros.
Intitulado “apoio para o programa País e planeamento para turismo sustentável em Cabo Verde” o projecto procura identificar as prioridades nacionais em matéria de alterações climáticas, incluindo uma série de projectos que o País visa desenvolver com o Fundo Verde para o Clima (GCF – sigla em inglês).
Segundo o ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, o GCF é um importante instrumento de financiamento que existe a nível mundial e que Cabo Verde pode ir buscar financiamento até 40 milhões de euros para desenvolver um conjunto de projectos designadamente nas áreas que possam apresentar soluções para o tratamento e reutilização do lixo e garantir um turismo sustentável.
“Até esta nós temos estado com os aterros sanitários. Todos nós temos a noção que esta é uma solução a prazo porque o País não pode continuar a acumular o lixo nas ilhas. Estamos agora a querer dar um passo mais ousado que é de conseguirmos ter centros de valorização do lixo à semelhança daquilo que são as boas práticas na Europa”, disse o governante.
O objectivo enquadra-se na ambição do executivo de ter um turismo sustentável em Cabo Verde.
Carlos Santos frisou que o País tem estado a desenvolver um projecto na área de sustentabilidade no turismo a nível económico, social e ambiental que deve ser iniciado nas ilhas do Sal e da Boa Vista com orçamento de um milhão de euros, financiado pela cooperação espanhola, e que na sua perspectiva trará como um dos ‘outputs’ a assinatura de um pacto de sustentabilidade entre todos os actores do turismo.
“Estamos a falar de actores em matérias que sejam transição energética, redução do consumo de água porque estamos num arquipelágico com muita limitação de recursos”, argumentou.
“Nós vamos, agora, preparar outros projectos e já temos algumas ideias nas áreas de tratamento e valorização do lixo que são normalmente aqueles megaprojectos que podem ajudar-nos a resolver um problema que é do lixo nas ilhas”, indicou.
A ideia é de arrancar com a implementação desses projectos nas ilhas do Sal e da Boa Vista por serem as ilhas mais impactadas a nível do turismo e onde há mais produção de lixo pelos turistas, mas também pela migração das populações que impactam a nível das pressões sobre as infra-estruturas urbanas.
O projecto de “Apoio para o Programa País e Planeamento para Turismo Sustentável em Cabo Verde” está orçado em meio milhão de euros e conta com o apoio técnico da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), que é a agência acreditada pela GCF.
O coordenador nacional da UNIDO, Edson Fernandes, explicou que o projecto será desenvolvido em três pilares, sendo que o primeiro é o desenvolvimento do programa País que irá consolidar as prioridades nacionais em matéria de acção climática, turismo sustentável e economia azul.

O projecto, que será implementado em 18 meses, irá também desenhar notas conceptuais de projectos prioritários que poderão imediatamente ser submetidos ao Fundo, para financiamento, podendo ainda reforçar as acções do turismo sustentável e circular através do reforço institucional e regulamentar a nível do País.

Dans la même catégorie