MAP BANK OF AFRICA étoffe les services de sa banque en ligne par l’épargne ANP Le Président de la République préside une réunion du conseil supérieur de la défense nationale ANP Tahoua : Un incendie consume 16 boutiques dans un marché de la ville APS L’INSTITUT DE DÉFENSE DU SÉNÉGAL INAUGURÉ AU CAMP IDRISSA-FALL APS UNE RALLONGE DE 45 MILLIARDS POUR LA MODERNISATION DU MINISTÈRE DE L’ENVIRONNEMENT APS LE FONSIS ET L’AFREXIMBANK EN SYNERGIE POUR ACCOMPAGNER LES PORTEURS DE PROJETS Inforpress São Vicente: Festival de desporto para atletas com deficiência dá início às comemorações dos 100 anos da travessia aérea Inforpress Relatório sobre últimas eleições presidenciais revela que a imprensa deu uma cobertura igualitária aos candidatos Inforpress Profissionais de saúde lusófonos debatem “resistência antimicrobiana” em ‘webinar’ Inforpress PR animado com sinais de retoma teme evolução da pandemia que possa levar a um novo fechamento

Diáspora: Artista plástico Nélson Neves celebra 20 anos de carreira com exposição no Luxemburgo


  12 Novembre      61        Arts & Cultures (1847), Arts plastiques (44), Photos (4428),

   

Cidade da Praia, 11 Nov (Inforpress) –  O artista plástico cabo-verdiano residente no Luxemburgo Nélson Neves celebra no próximo ano 20 anos de carreira com uma exposição intitulada “Retrospectiva Nelson Neves 2000-2020”, na galeria d’Arte H2O na villa de Differdange, Luxemburgo.
Em conversa com à Inforpress, este artista, que vive há mais de 30 anos no Luxemburgo, informou que a exposição acontece de 15 de Junho a 5 de Julho, mas a cerimónia de abertura está prevista para o dia 18, e espera contar com a presença do Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.
Nélson Neves nasceu em Santo Antão, em 1973, e aos sete anos emigrou com os pais para o Luxemburgo.
Após os seus estudos primários e pós-primários, Nélson Neves seguiu carreira como decorador, mas nunca deixou de lado pintura.
A sua primeira exposição de pintura foi realizada em Setembro de 2001, em Rodange, enquadrada na Semana Cultural de Cabo Verde, e de lá até hoje houve vários convites para participar em exposições nesse país europeu e não só.
Ao longo da sua carreira participou em cerca de 40 exposições individuais e em grupo no Luxemburgo, França, Bélgica e Cabo Verde.
Entretanto, à Inforpress considerou que a exposição que lhe marcou foi a de 2008, quando o Ministério da Cultura do Luxemburgo o convidou para representar o país na Semana Cultural Luxemburguesa, na Cidade da Praia.
“Foi com muito orgulho que participei, fiquei muito contente e foi uma grande responsabilidade para mim porque Luxemburgo tem grandes pintores e fiquei grato por terem-me convidado para representar Luxemburgo na terra onde nasce”, regozijou-se.
A partir dali, recordou, passou a receber vários prémios artísticos e convites por parte de liceus e escolas básicas para ministrar formação sobre arte, o que a seu ver é um reconhecimento do seu percurso, uma vez que não tem qualquer diploma de professor de arte.
Realçou o facto de, para além de levar a sua arte para expor em alguns países, principalmente em Cabo Verde, ter aproveitado para ministrar workshops sobre pinturas em diversas ilhas do país, destinados às crianças, aos jovens com deficiência e aos reclusos.
Nélson Neves revelou ainda à Inforpress que a vivência do povo cabo-verdiano, a vivência dos luxemburgueses, a natureza, as cores e tudo que o rodeia são as suas fontes de inspiração e que para o seu “equilíbrio” preciso das duas culturas.
Na sua última exposição, que ocorreu em Outubro, na casa dos Assalariados, em Luxemburgo, disse ter ficado “muito contente” quando o director da galaria, no seu discurso, ter dito que ele tem construído pontes entre a cultura cabo-verdiana e a luxemburguesa.
“É isso que tento fazer sempre que é unir povos através da cultura. Digo sempre que as pessoas que querem dividir o mundo e os povos há muitos (…) mas os artistas têm que ter a obrigação de construir pontes porque é com ponte que aproximamos os povos”, defendeu.

Para continuar a construir esta ponte, revelou que para a cerimónia de abertura da expoçisão vai haver uma fusão da música cabo-verdiana com a luxemburguesa, e que para isso convidou um artista cabo-verdiano e um artista luxemburguês.
A exposição “Retrospectiva Nelson Neves 2000-2020” irá contar com mais de 100 quadros, obra desses 20 anos de carreira, informou.
Realçou ainda o facto de não ter sido fácil conseguir a galeria d’Arte H2O para expor os seus trabalhos, uma vez que, por ser uma das mais maiores galerias do país, todos os artistas conceituados do Luxemburgo querem expor naquele espaço.
AM/AA

Dans la même catégorie