MAP Basketball: la 4ème édition de la BAL le 24 mai à Kigali, avec la participation du FUS de Rabat ANP Morts dans des attaques à Tillaberi : Le front patriotique pour la souveraineté condamne fermement ces attaques MAP L’intégration économique, un pilier fondamental pour la promotion du développement en Afrique (M. Mezzour) ANP Le Ministre du Commerce et de l’Industrie visite plusieurs unités industrielles et commerciales de la Ville de Tahoua ANP Niamey : Le Président du CNSP reçoit l’Ambassadeur de Chine au Niger MAP Dakhla: Des ambassadeurs africains saluent la « crédibilité » et « l’audace » de l’Initiative Royale pour l’Atlantique Economie et finances / Société et Région MAP Le PAM appelle à une action urgente pour lutter contre l’insécurité alimentaire en Afrique australe MAP L’Angola cultive seulement 17% de ses terres arables (ministre) MAP Massacre de 2009 en Guinée: prison à vie requise contre l’ancien président Moussa Dadis Camara MAP Niger: sept soldats nigériens et « des dizaines » de terroristes tués près du Burkina Faso (officiel)

Educação e Saúde/Frente Social promete trabalhar para evitar mais greves


  12 Avril      10        Education (7176),

 

Bissau, 12 Abr 24(ANG) – O porta-voz da Frente Social que engloba os sindicatos do setor educativo e da saúde prometeu, quinta-feira, que vão trabalhar durante um mês para concluir os trabalhos que futuramente vão  evitar greves nos dois setores.

Yoyo João Correia que falava aos jornalistas depois do encontro com o Presidente da República,  disse que abordaram os pontos inscritos no Caderno Reivindicativo, nomeadamente o pagamento das dívidas, efetivação, observância nas nomeações dos diretores-geraise de serviço,  e a reclassificação do pessoal da saúde e da  educação.

O sindicalista afirmou que também falaram com Umaro Sissoco Embaló dos aspetos ligados a necessidade de se melhor as condições infraestruturais das duas áreas, a questão da harmonização do curriculum escolar e dos protocolos médicos.

Correia revelou ainda  que abordaram com o chefe de Estado  a questão de bloqueio de salários dos profissionais dos dois setores, e declarou que não apoiam  as  pessoas que decidiram sair do país por vontade própria  mas que  estão a ser pagos.

Ioio João Correia disse que receberam garantias do Presidente da República de que vai usar a  influência junto do governo para tentar resolver a situação durante o período de um mês.

« O nosso objetivo não é greve. O nosso objetivo é chegar a um entendimento com o Governo para permitir que haja condições objetivas de funcionamento da educação e saúde, enquanto setores essenciais para o bem-estar da população guineense » defende.

Mesmo assim o sindicalista não descarta a adoção de novas medidas e voltar às reclamações se não houver progresso nas negociações.

A Frente Social, que congrega os sindicatos da educação e saúde terminou a 2ª vaga de greve de três dias nas escolas e hospitais públicos do país, no dia 10 de Abril.

Tem estado a reivindicar  o pagamento das dívidas aos Professores e pessoal da saúde, a observância das leis nas nomeações dos diretores-gerais e de serviços e o desbloqueio de salários aos profissionais dos dois setores que se encontrarem fora do país.

Antes do encontro com o Presidente da República contava observar mais uma paralisação nos dois setores, se o desentendimento com o Governo prevalecer, após a 2ª ronda negocial sem consenso sobre a satisfaao das reivindicações.

Dans la même catégorie