GNA 215 suspected criminals rounded up in post bullion Van attack GNA MTN FA Cup: Hearts, Kotoko secure round of 16 berth GNA LIGUE 2 : LE GFC ET LA LINGUÈRE MÈNENT TOUJOURS LA DANSE GNA L’ASSOCIATION SAINT-LOUIS JAZZ DEVIENDRAIT AUTONOME EN SE MUANT EN FONDATION (PRÉSIDENT) APS VIEUX FARKA TOURÉ DÉCOUVRE LE FESTIVAL DE JAZZ DE SAINT-LOUIS GNA Hearts cruise into round of 16 after thumping Windy Professionals GNA Education Minister inspects ongoing projects at Cape Coast Technical University GNA Digitalisation of Banking:Fidelity chalks milestone GNA More than eight million structures listed within six days to 2021 Census GNA Assembly Member unhappy about delay in providing motorbikes

Ensino/Sinaprof condiciona início do novo ano lectivo com devolução dos descontos salariais feitos aos professores grevistas


  19 Août      19        Entreprises (335),

   

Bissau,19 Ago 20(ANG) – O Sindicato Nacional dos Professores (SINAPROF) decidiu condicionar o início do novo ano lectivo 2020/21 a devolução do dinheiro descontado aos professores pelo anterior executivo na sequência de uma greve no ensino público.

A decisão foi anunciada na terça-feira (18), pelo presidente em exercício de SINAPROF, Domingos de Carvalho, no âmbito da entrega de materiais higiénicos que serão distribuídos para diferentes regiões do país com a excepção de Sector Autónomo de Bissau e Bolama Bijagós, para apoiar as escolas na prevenção contra o novo coronavírus.

“Nós professores, não vamos permitir que alguém nos toma por escravo. O dinheiro que nos roubaram tem que ser devolvido, não é um favor ou esmola, é uma lei, tem que ser devolvido. Isso é a condição sine qua non para a abertura do novo ano lectivo Que fica muito bem clara, todos os que foram descontados abusivamente têm que receber o seu dinheiro antes do início do ano lectivo”, disse o sindicalista.

Em relação aos materiais higiénicos que serão distribuídos nas regiões do país, Domingos de Carvalho, descreve a iniciativa como um gesto para a melhoria das condições de trabalhos dos professores assim como dos alunos, uma vez que o vírus continua a afectar as pessoas.

No total são 600 litros de lixívia, 600 barras de sabão e 600 kg de Omo, orçado num valor de 3 milhões de francos CFA, ofertada por dos parceiros de SINAPROF “Internacional Educação”.

A Guiné-Bissau regista 33 mortos por Covid-19, num total acumulado de 2.149 casos e 1.104 considerados recuperados da infecção.

No ano passado o Governo procedeu ao desconto no vencimento de todos os professores que participaram em greves decretadas pelos sindicatos do ensiino. ANG/Rádio Sol Mansi

Dans la même catégorie