ACP La Norvège promet son appui au processus électoral en RDC ACP EPST : élaboration prochaine d’une « Feuille de route bilatérale Education » à Kinshasa ACP Tenue d’un séminaire à Bruxelles sur le processus électoral en RDC ACP SADC/RDC : les agresseurs appelés à cesser tout soutien aux groupes armés ACP RDC- Norvège : 23 millions de couronnes norvégiennes destinés aux jeunes congolais APS La manœuvre nationale « FERLO 2022 » a pris fin à Dodji APS Vers la construction à Bango d’un Centre de formation aux métiers du pétrole à vocation sous régionale (ministre) APS Le Sénégal et le Maroc, seules équipes africaines en huitièmes de finale APS Le Sénégal dispose de 910 milliards de m3 de réserves de gaz (ministre) MAP Onze blessés dans l’attaque d’une mosquée dans le sud du Nigeria

Ex-produtora cultural Samira Pereira é mote de filme produzido pela actriz portuguesa Flávia Gusmão


  29 Septembre      8        Cinéma (291),

   

Mindelo, 29 Set (Inforpress) – A vida da falecida produtora cultural mindelense Samira Pereira foi o mote para o filme “#4 Mangifera” produzido pela actriz portuguesa Flávia Gusmão e que terá estreia a 16 de Outubro na emissora televisiva RTP2.
“#4Mangifera”, conforme informações da assessoria em comunicado, trata-se do quarto capítulo de um projecto multidisciplinar “Na lut@” de arte sobre perda e luto criado por Flávia Gusmão no seguimento da morte da amiga e conhecida produtora, gestora e activista cultural Samira Pereira, falecida em 2021.
Esta produção, que é a primeira da actriz e encenadora portuguesa, traz, segundo a mesma fonte, uma tentativa de “construir um mapa ficcional, geográfico, emocional e afectivo.
“A ficção, complexidade e nuances da identidade são construídas a partir de mapas imaginários de Cabo Verde e das comunidades cabo-verdianas”, lê-se no comunicado.
No filme, ajuntou, através de um processo de criação desenvolvido com diferentes comunidades cabo-verdianas de vários países, “encontra-se um paralelo imaginado entre a biografia de Samira Pereira, nascida em 1976, um ano após a independência de Cabo Verde, e os acontecimentos históricos-políticos que marcaram o seu círculo de amigos e co-conspiradores, o seu legado e e actividade cultural e os territórios onde viveu, sobretudo, que influenciaram fluxos migratórios de partida e regresso”.
O “docudrama”, que tem estreia marcada para 16 de Outubro na RTP2, foi construído a partir de um conto de Agustina Bessa Luís “As mãos contra a luz” e de um poema de Shauna Barbosa, poeta norte-americana com ascendência cabo-verdiana.
Integra-se dentro do projecto “Na lut@”, que foi criado por Flávia Gusmão há cerca de um ano e terá o seu desfecho em 2023, fazendo uma reflexão sobre as cinco fases de luto estabelecidas pela psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross, sendo estas negação, raiva, negociação, depressão e aceitação.
O filme “Mangifera” que se estreia daqui a cerca de três semanas, tem a produção de Medusa Material e Bô Dixam Bai (Portugal), em associação com Anatomia da Errância Filmes (Canadá) e KS Cinema (Cabo Verde).
No elenco conta com nomes como Aldina da Luz, Aurisanda da Luz, Carolina Costa, Débora Roberto, Milton Pires, Nádia dos Santos, Mara Costa, Helena Moscoso, Sindne Santos, David Medina, João Faria e ainda uma participação especial do grupo Kola San Jon da Cova da Moura, Portugal.
A última parte de Na lut@ tem estreia marcada para Abril de 2023 no Teatro São Luiz, em Lisboa (Portugal).

Dans la même catégorie