MAP Le Maroc dispose du dossier le plus solide pour l’organisation de la CAN-2025 (agence de presse) APS Ziarra Omarienne: Des centaines de fidèles ont participé à la cérémonie officielle APS Babacar Diop annonce sa candidature à la présidentielle de 2024 AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Mode : le sénégalais Mathydy s’installe à Abidjan MAP Tropicale Amissa Bongo: L’Ambassadeur de SM le Roi au Gabon rencontre l’équipe nationale de cyclisme MAP Cyclisme: Le Français Geoffrey Soupe champion de la 16è Tropicale Amissa Bongo AIP Côte d’Ivoire-AIP/Le Québec annonce son appui à la formation et l’insertion des jeunes ivoiriens AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Inauguration du premier bureau régional du ministère de la Réconciliation et de la Cohésion nationale AIP AIP/ La COP-FEA encourage la consolidation de la paix entre la Côte d’Ivoire et le Mali APS Les communes de Kaffrine et Ngniby scellent une convention de financement avec le ministère de la Culture

PIB real de Cabo Verde cresceu 3,7% em 2017 menos 1% do que em 2016 – INE


  12 Juillet      41        Economie (17156),

   

Cidade da Praia 12 Jul (Inforpress) – O Produto Interno Bruto (PIB –real) de Cabo Verde cresceu 3,7% em 2017, inferior em 1% do que em 2016, conforme os dados das contas anuais divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
De acordo com a mesma fonte, esse abrandamento no crescimento do PIB de 1% é explicado pelas quedas nas actividades de agricultura, telecomunicações, imobiliária e educação mercantil.
Por outro lado foi registada uma evolução positiva a nível das despesas do consumo final que chegou aos 7,3%.
Conforme o documento, a análise do PIB feita pela óptica da despesa mostra que o consumo privado e o consumo público foram os que mais contribuíram para esse crescimento, com variações de 7,1% e 7,7% respectivamente.
Na óptica da produção, destacam-se positivamente, as actividades com algum peso na economia, nomeadamente os serviços de alojamento e restaurantes (18,1%), construção (19%) e o comércio (9,3%).
“Em queda estiveram os ramos da agricultura (-13,5%), telecomunicações (- 6,3%), imobiliária (-26,8%) e a educação mercantil (-5,8%)” refere o documento.
O INE adianta que em termos globais o sector primário teve uma queda de 12,2%, suplantado, sobretudo pelo fraco desempenho do ramo da agricultura e o secundário registou um aumento de 12,8%, derivado especialmente dos ramos das indústrias (16,3%) e da construção (19,0%).
Em relação ao sector terciário foi registado um aumento de 2,3% contra os 5,8, registados no ano de 2016. A queda no sector terciário de 3,5% pontos percentuais em relação a 2016, explica-se, segundo o INE pelo desempenho negativo dos ramos das telecomunicações (- 6,3%), da imobiliária (-26,8%) e da educação mercantil (-5,8%).
MJB/ZS

Dans la même catégorie