AIP L’AIP remporte deux prix au Grand Prix FAAPA 2021 AIP La journée de l’entreprenariat féminin célébrée à Abidjan APS LES INVESTISSEMENTS DES ENTREPRISES CHINOISES EN AFRIQUE ESTIMÉS À 43 MILLIARDS DE DOLLARS EN FIN 2020 (LIVRE BLANC) AGP Guinée/Éducation : Pierre Kolié, 5ème de la République en sciences expérimentales au bac unique session 2020 plaide pour une bourse d’études à l’étranger AGP Guinée/Transition : Compte rendu du Conseil des Ministres AIP La Côte d’Ivoire s’offre 836 400 doses de vaccin Sinopharm pour lutter contre le covid-19 AIP La Suisse et la Côte d’Ivoire signent trois accords en matière de migration à Berne AIP Plus de 200.000 orphelins du Sida attendent d’être pris en charge en Côte d’Ivoire AIP Le Festival de l’électronique et du jeu vidéo d’Abidjan innove avec les Gaming Awards MAP Dakar: clôture de la 8e réunion du Conseil exécutif de la FAAPA par l’adoption du Plan d’action pour l’année 2022

Presidenciais’2021: Joaquim Monteiro encerra campanha no Fogo para “pagar dívida” que remonta 2011


  14 Octobre      15        Photos (4427), Politique (19503),

   

São Filipe, 14 Out (Inforpress) – O candidato a Presidente da República Joaquim Jaime Monteiro chegou hoje à ilha do Fogo para passar a mensagem de “programar, planificar e unir Cabo Verde“, de modo a tirar o país da “deriva” que se encontra.
O auto-intitulado “candidato do povo” vai, assim, encerrar a sua campanha na “Ilha do Vulcão”, depois de fazer a maior parte das suas investidas na pretensão de chegar ao Palácio do Platô nas ilhas de Santo Antão, sua terra natal, São Vicente e Santiago.
Ainda na Cidade da Praia, Jaime Monteiro disse aos jornalistas, à margem da reunião realizada no final da tarde de quarta-feira, com os observadores das eleições da União Africana, que escolheu a ilha do Fogo por ter uma “dívida” como jovens foguenses, datada da campanha eleitoral de 2011.
“Tenho uma dívida muito grande para com os foguenses. Em 2011, com todo o estrangulamento do sistema, quando desembarquei no Fogo os jovens estavam à minha espera a gritar ‘Joaquim abo k nu kre’ [Queremos Joaquim]“, justificou, o aspirante à Presidente da República, nas eleições de domingo.
“Aquilo me impressionou porque não anunciei a minha viagem para a ilha do Fogo e fiz somente uma hora de campanha eleitoral”, acrescentou Joaquim Monteiro, frisando, por isso, que leva uma “mensagem diferente” para os foguenses.

No entanto, o candidato presidente lamenta o facto estado de pandémico a que o país se encontra não permitir um recebimento igual ao que aconteceu há dez anos.
Esse recebimento dos jovens, segundo Joaquim Monteiro, “foi traduzido na urna” , só que, conforme denunciou, os seus votos foram “roubados”, quando o objectivo era conseguir o mínimo para ter a certeza que a mensagem estava a chegar à juventude cabo-verdiana.
Na ilha do Fogo, Joaquim Monteiro, antigo professor e combatente da liberdade da pátria, vai incidir as suas ações de campanha na cidade São Filipe e em Chã das Caldeira, no município de Santa Catarina do Fogo.
Joaquim Monteiro regressa domingo [dia das eleições], no início da tarde, à Cidade da Praia, ilha de Santiago, para exercer o seu direito de voto numa das mesas do Liceu Domingos Ramos.
Às presidenciais do dia 17 de Outubro concorrem sete candidatos: Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.
As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta com 74% dos votos, para um segundo mandato.

Dans la même catégorie