Inforpress Presidente da República condecora FAO pelo “inestimável contributo” no desenvolvimento de Cabo Verde Inforpress São Vicente: CNAD faz coincidir exposição com data do centenário de Amílcar Cabral Inforpress Maio: Festival de Moreia na vila da Calheta marcado para 17 e 18 de Agosto Inforpress Futsal: Luso-cabo-verdiano Pany Varela a caminho do Al Nassr da Arábia Saudita MAP Le Maroc et la Côte d’Ivoire partagent une vision commune sur les questions régionales et continentales (ministre ivoirien des AE) MAP Africa Investment Forum : lancement officiel des préparatifs pour l’organisation de la 5ème édition à Rabat MAP CPS de l’UA: Le Maroc réitère la primauté du Conseil de Sécurité de l’ONU en matière de maintien de la paix et de la sécurité internationales MAP Niger: la compagnie pétrolière chinoise CNPC « suspend » des travaux pour des raisons de « sécurité » MAP Les partis politiques sud-africains exigent une Commission parlementaire pour superviser la Présidence MAP Le Maroc et la Côte d’Ivoire saluent hautement leur partenariat stratégique et leur coopération bilatérale

Primeira emissão das obrigações azuis resulta em 350 mil contos superior em 100 mil contos ao montante inicial


  9 Mars      51        Economie (21816), Finance (1521),

 

Cidade da Praia, 09 Mar (Inforpress) – A primeira emissão das obrigações azuis lançada pela Bolsa de Valores de Cabo Verde e realizada pelo InternationalInvestimentBank (iib) resultou em 350 mil contos, superior em 100 mil contos ao montante inicial que era de 250 mil contos.
Segundo o presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde, Miguel Monteiro, a operação cujos resultados foram apresentados hoje, foi um sucesso com a procura a superar a oferta, chegando a ultrapassar os 350 mil contos.
Inicialmente eram 25 mil obrigações colocadas à disposição do público, ao preço de 10 mil escudos cada, com maturidade de cinco anos e a taxa de juro de 4%, para financiar projectos na área da economia azul.
Entretanto, desde o início a Bolsa de Valores e entidade emitente deixaram aberta a possibilidade de aumentar até 10 mil as obrigações da primeira oferta pública de subscrição deste ano se a procura assim justificar.
“E podemos anunciar que na realidade tivemos a procura superior aos 350 mil contos, mas havendo essa opção de mais de 100 mil contos ficamos pelos 350 mil contos. É uma operação que teve a participação do público em geral, uma participação da nossa diáspora”, disse.
Segundo indicou, mais de 20% das obrigações, correspondente a mais de 70 mil contos foram subscritas por cabo-verdianos na diáspora, o que na sua perspectiva demonstra que os cabo-verdianos fora do país estão também interessados neste tipo de investimento.
Face ao sucesso desta operação, o presidente da Bolsa de Valores prevê novas emissões de obrigações azuis ainda antes deste ano.
O iib fez essa emissão no sentido de apoiar com créditos directos ou através das instituições de micro-finanças os investimentos no sector da economia marítima, ou seja, das actividades ligadas ao mar.
O presidente do iib, Francisco Ferreira, indicou que eles vão ter acordo para aquele empreendedorismo ou investimentos na economia marítima, pescas, ou seja aquilo que está ligado à actividade marítima.
Para isso, indicou que parte do financiamento já se encontra realizada, já que o banco foi construindo sua carteira nesse âmbito com factores de elegibilidade.
Entretanto adiantou também que o banco tem em discussão com as entidades de micro-finanças parcerias inovadoras com o intuito de poderem, enquanto banco e entidade mais reforçada no mercado de capitais, ajudar as instituições de micro-finanças que também têm uma expertise nessa área a alavancar a sua actividade.
“Estamos em conversação para chegarmos a um consenso sobre como é que o banco pode alavancar, quer em termos de liquidez, como em termos de liberalização de capital, a essas entidades que também são muito importantes nesse segmento ao qual os bancos têm dificuldades em chegar”, disse.
Denominada Marine andOceanBasedBlueBond série D, a emissão que decorreu de 27 de Janeiro e decorre até 28 de Fevereiro foi a primeira oferta pública de subscrição de obrigações, desde 2013, e contou com a parceria do PNUD, através da BLU-X, plataforma destinada ao desenvolvimento da economia azul sustentável.

Dans la même catégorie