GNA Government addressing all outstanding border issues with neighboring countries- President GNA Peace Fund launched to support the National Peace Council ANP Décès à l’hôpital de référence de Niamey du PDG de la Nigérienne de l’automobile AGP Koubia-CIVID-19 : Lancement de la compagne de vaccination accélérée contre le covid-19 GNA Ministry of Finance publishes sustainable financing framework GNA Strengthening health security will help Ghana achieve Universal Health Coverage GNA AU signs MOU with Africa Leadership Foundation GNA NCCI to hold Africa Private Sector Summit Series two in Accra INFORPRESS Presidential elections on Sunday will be followed by 140 international observers – CNE INFORPRESS President of the Republic classifies Armenio Vieira as “example” and “source of inspiration” to look for “new things”

SaúdePública/Directores de serviço do HNSM pedem dimissão em bloco


  22 Septembre      15        Santé (11835),

   

Bissau, 22 Set 21 (ANG) – Oitos Directores de serviços do Hospital Nacional Simão Mendes (HNSM), entregaram terça-feira a Direcção Geral do referido hospital, uma carta de pedido de dimissão das suas funções, devido a requizição de alguns técnicos de Saúde do Hospital Militar para seus postos de serviço e “sem nenhuma informação prévia”.
Segundo a carta entregue à Direcção Geral do Hospital Nacional Simão Mendes (HNSM), à que a ANG teve aceso hoje, os oitos Directores dimissionários são dos Serviços de Urgência, de Orto Traumatologia, de Medicina interna, Serviço de Cirurgia Geral, de Enestesia e Blocos, Cuidados Intensivo, Maternidade e Pediatria.
Alegaram na carta, que desde os primeiros momentos da paralização, estiveram dia e noite no hospital, dando os seus melhores desempenho em termos de atendimento dos pacientes, para mais tarde serem surpriendido com a ocupação dos seus serviços pelos técnicos de Saúde Militares, e sem menhuma informação préveia.

No total, são seis médicos militares, um para o serviço de Cirurgia geral, Urgência, Orto Traumatologio, Cuidados intensivos, Pediatria e Maternidade.

“Nós, enquanto Técnicos de Saúde, continuaremos a dar o nosso melhor para o bem estar dos utentes deste hospital”, garantiram os oito Médicos demissionários.

Segundo o ministro da saúde Pública, Dionísio Cumba, o governo decidiu recrutar médicos militares para garantir assistência à pacientes internados e casos de urgência, num quadro de serviço mínimo de uma paralisação em curso, por tempo indeterminado.

Dans la même catégorie