APS LES JEUNES INVITÉS À FAIRE BON USAGE DES RÉSEAUX SOCIAUX APS LE SAMES VA TENIR UN SIT-IN SILENCIEUX, LE 17 MAI APS RAMADAN : LA MAIRIE DE KAOLACK DÉCAISSE 35 MILLIONS DE FRANCS CFA POUR LES NÉCESSITEUX APS INCENDIE À L’HÔPITAL MAGATTE-LÔ : LE SAMES EXIGE UNE ‘’ENQUÊTE IMPARTIALE’’ APS DU MATÉRIEL ET DES VÉHICULES POUR LES SERVICES CHARGÉS DE LA GOUVERNANCE DE L’ÉTAT CIVIL APS POUR LA KORITÉ, LA RÉGION DE MATAM EST BIEN APPROVISIONNÉE EN DENRÉES ALIMENTAIRES, SELON LE SERVICE DU COMMERCE ANP Le Représentant résident du FMI pour le Niger assure au Président Mohamed Bazoum l’accompagnement de son Institution AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le ministère de l’Education nationale engagé dans l’amélioration de sa collaboration avec les éditeurs AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Lancement d’un nouveau magazine scientifique en ligne AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le paysage audiovisuel dominé par la forte audience des chaines du Groupe RTI (Etude)

Sindprof comemora o Dia do Professor Cabo-verdiano com actividades descentralizadas e reflexão sobre a classe


  22 Avril      16        Education (4834),

   

 

Cidade da Praia, 22 Abr (Inforpress) – O Sindprof comemora o Dia do Professor Cabo-verdiano com “pequenas actividades descentralizadas” e reflexão sobre “o papel do professor na sociedade que se vive actualmente, e o relacionamento com os alunos neste momento da pandemia”.

A presidente do Sindicato Democrático de Professores (Sindprof) afirmou à Inforpress que esta foi a forma adoptada para evitar que este dia de reflexão, 23 de Abril, volte a passar em branco, à semelhança do ano transacto, face à situação sanitária marcada pelas restrições imposta por causa da pandemia da covid-19, para evitar aglomeração de pessoas e contágios.

Lígia Herbert avançou ainda a possibilidade de uma formação sobre a actividade sindical, para que os dirigentes tenham mais “traquejos” na resolução de diferentes pendências que afectam os professores, por entender ser necessário munir a classe de ferramentas capazes de resolver os problemas mediante negociações junto do Ministério da Educação.

“A classe não é só problema financeiro. A classe não tem só pendências financeiras, precisa de ser vista de outra forma. Para isso somos nós mesmos a tentar mudar a mentalidade da sociedade em relação a esta classe que é digna, nobre, mas, entretanto, é preciso que a sociedade veja com outros olhos a educação”, frisou Lígia Herbert.

Considerou ainda que este dia deve ser aproveitada para uma reflexão da classe docência com a tutela, alegando que para além da importância do espaço físico e das tecnologias, é preciso que se crie condições de trabalho, para que os professores tenham melhores incentivos, alegando que nada substitui o homem e o professor na sala de aulas.

Considerando o aluno e o professor como o mais importante de toda a estrutura educacional, Herbert avançou que o Sindprof está a trabalhar no sentido de criar incentivos à classe para que todos estejam motivados para criar forças, visando transtornar o professor no seu verdadeiro papel, enquanto o “olheiro da sociedade”.

Aproveitou a ocasião para ressaltar “a procura incessante de professores em filiar-se com uma entrada massiva” no Sindprof”, sublinhando que esta confiança que depositam nesta organização precisa ir ao encontro das expectativas dos professores a esta jovem organização com quatro anos de existência, mas “com anos de caminho na resolução das pendências dos professores”.

“Nós não temos nenhum problema que o professor seja de outra organização sindical. Se tem problema a gente também ajuda. O importante é resolver o problema da classe, porque senão fragilizamos também as organizações sindicais”, explicitou Lígia Herbert, que faz da máxima “junto unidos para a resolução dos problemas da classe”.

Dans la même catégorie