APS ZIARRA ANNUELLE DÉDIÉE À MAME ASTOU DIANKHA, LE 15 JANVIER PROCHAIN APS TRENTE-SEPT COMMUNES DE LA RÉGION DE THIÈS BÉNÉFICIERONT DU PROMOGED (DIRECTEUR) GNA Ghana wins bronze at IWF/Commonwealth Weightlifting Championship GNA MAGAL DE MBACKÉ KADIOR : LE GOUVERNEUR DE LOUGA DONNE DES ASSURANCES AU COMITÉ D’ORGANISATION GNA African Diaspora to invest $5.4 million in Ghana’s key sectors GNA Gov’t warns illegal miners as Operation Halt arrests 26 suspects GNA Fishermen desert Tano Lake due to water hyacinth, pollution APS KAOLACK : UN CORPS SANS VIE REPÊCHÉ DU BRAS DE MER DE SIBASSOR APS FIDAK : WALLY BALLAGO SECK DONNE UN CONCERT APS LA MAQUETTE FUTURISTE DU CICES SERA PRÉSENTÉE AU GRAND PUBLIC BIENTÔT (DG)

Santo Antão: MAA tem “aval” da Enapor para deslocalizar centro de expurgo para o porto


  19 Août      13        Agriculture (24),

   

Porto Novo, 19 Ago (Inforpress) – O Ministério da Agricultura e Ambiente  (MAA) já recebeu o “aval” da Empresa Nacional da Administração dos Portos para deslocalizar o centro de expurgo de Santo Antão para as instalações do porto, do Porto Novo.

A garantia é do delegado do MAA no Porto Novo, Joel Barros, que adiantou que já estão em curso os preparativos para transferir o centro de expurgo para o cais do Porto Novo “para melhor poder servir os operadores”.

O centro pós-colheita de Santo Antão fica situado nos arredores da cidade do Porto Novo, numa zona afastada do porto, facto que, segundo os agricultores, cria “vários constrangimentos”, nomeadamente em termos de custos do serviço, que é prestado.

O MAA reconhece que este centro tem “muitas vulnerabilidades” desde logo, a sua má localização, facto que cria muitas dificuldades aos produtores agrícolas, que preferem não utilizar este espaço, actualmente sub-aproveitado.

Esta infra-estrutura, que representou um investimento de 120 mil contos (construção e equipamento), foi construída no quadro do primeiro compact do programa Millenium Challange Account (MCA) para contornar o problema do embargo imposto aos produtos agrícolas de Santo Antão, por causa da praga dos mil-pés.

Mas, segundo alguns produtores agrícolas, tratou-se de “um investimento praticamente perdido”, já que, por causa da sua “má localização”, tem sido pouco aproveitado.

Dans la même catégorie