GNA SOS Children’s Villages Ghana empowers youth in Abuakwa North GNA Hardford Motors donates to National Chief Imam to mark Eid-Ul-Fitr GNA Police Cadet Trainees Matriculate GNA Muslims celebrate Eid flamboyantly – Ashaiman GNA Stakeholders commit to tackling teenage pregnancy in Bosomtwe GNA CDD-Ghana researches impact of COVID-19 on government reforms GNA Shun party politics at the workplace GNA Ghanaians must respect the rights and freedoms-NCCE Director GNA Assembly Member appeals for construction of bridge GNA Madina MP calls for peaceful co-existence

Porto Novo: Governo assevera viabilização da indústria de pozolanas por “investidor de referência” no sector


  17 Mars      9        Businesses (191),

   

 

Porto Novo, 17 Mar (Inforpress) – As pozolanas no município do Porto Novo serão dinamizadas por “um investidor de referência” na indústria cimenteira, que está a ser escolhido pelo Governo, anunciou terça-feira, em Santo Antão, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Ulisses Correia e Silva, que, esta terça-feira, terminou uma visita de um dia a esta ilha, assegurou que já existe uma decisão do Conselho de Ministros (CM) no sentido de “resolver o problema das pozolanas, que se arrasta há vários anos” com a empresa Cabocem (fecho da unidade de produção).

O ministro das Finanças tem a autorização para, em consequência, seleccionar “um investidor de referência” no sector de produção de cimentos para “viabilizar” esta indústria, que está paralisada desde 2013.

“O CM já deu a autorização ao ministro das Finanças para fazer todas as negociações para fechar o processo com a Cabocem e posso garantir que vai ser fechado com sucesso”, notou o chefe do Governo, destacando o potencial que Santo Antão possui no sector das pozolanas.

Entre o Estado de Cabo Verde e a Cabocem, empresa criada por um grupo de investidores italianos para explorar as pozolanas, foi estabelecido, em 2005, altura em que foi instalada a unidade de produção, um contrato de concessão da exploração deste recurso natural, por um período de 25 anos.

Porém, a produção do cimento pozolânico foi interrompida, em Agosto de 2018, com o encerramento da unidade, por alegadas dificuldades financeiras.

As reservas de pozolana estão estimadas em 10 milhões de toneladas, concentradas, sobretudo, nas proximidades da cidade do Porto Novo (Brejo, Fundão, Ribeira Fria e Gamboesa).

Dans la même catégorie