GNA Madina MP calls for peaceful co-existence GNA Greed, dishonesty and hypocrisy must be eschewed in ‘galamsey’ fight – Asantehene GNA COVID-19 has affected blood mobilisation – Dr Srofenyo GNA GSS and Gender Ministry train census grievance redress agents GNA Volta NDC MPs donate to Moslem communities in Hohoe GNA Rastafarian Saga: Applicant not a student of Achimota School–AG GNA Cherish unity as Muslims – Imam urges GNA Excesses by National Security operatives on CitiFM journalists pass for wickedness – Affail Monney GNA KoKMA declares ban on drumming, noisemaking GNA Enforce containerization of transit cargoes– Alhaji Iddisah

Legislativas2021/Santiago Norte: Plataformas eleitorais do MpD, PAICV e UCID são ‘letra morta’ – diz candidato do PTS


  14 Avril      9        Politics (15124),

   

Tarrafal, 13 Abr (Inforpress) – O cabeça-de-lista do Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS) para o círculo eleitoral de Santiago Norte, Cláudio de Sousa, considerou hoje ‘letra morta’ as plataformas eleitorais do MpD, PAICV e UCID.
“Muitas pessoas estão a reclamar que partidos como PTS não têm uma plataforma eleitoral como MpD, PAICV e UCID, mas as suas plataformas eleitorais são ‘letra morta’ em papel que não têm nenhum efeito prático para a realidade cabo-verdiana. Nós [PTS] não precisamos de uma plataforma de 50 ou 70 páginas como a desses três partidos”, disse Cláudio de Sousa, em declarações à Inforpress.
Contrariamente aos outros partidos, adiantou que o PTS preparou um “documento simples” de dois a três páginas, ou seja, um manifesto eleitoral, para explicar o que o partido quer, que lembrou, é eleger deputados e não ser Governo.
Tais plataformas eleitorais, prosseguiu, “estão cheios de demagogias e inverdades”, reiterando que o PTS não é como os outros, “partidos do arco do poder”, que estão no terreno apenas para fins eleitoralistas e que no momento da governação ficam “paralisados”.
Nesse sentido, o também presidente interino do PTS assegurou que foco do partido é continuar a fazer o trabalho de consciencialização e apresentar o seu manifesto eleitoral, ao contrário dos outros demais que estão a trabalhar na “desinformação e compra de consciência”, sem se preocuparem com a pandemia.
Sobre a pandemia, disse não entender o porque que o próprio Ulisses, que afirmara “preferir perder todas as eleições do que perder a luta contra covid-19” e que tem tomado a pandemia como desculpa para o não cumprimento das promessas feitas em 2016, está a comportar-se como se a covid-19 “não existisse” em Cabo Verde.
Cláudio de Sousa, que desistiu da viagem para São Vicente, vai continuar no Tarrafal nos próximos dias para apresentar o manifesto eleitoral do partido “meu povo, minha luta, novos tempos, novos caminhos!” e para pedir o fim da maioria absoluta para o MpD ou PAICV e voto de confiança nesse partido liderado por jovens.
Às legislativas do dia 18 de Abril, para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais 10 no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.
PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).
As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

Dans la même catégorie